quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Onde está a ala esquerda do PS?

Manuel Alegre quer ser consultado e ouvido. Quer também que a AR tenha uma temperatura amena. E pouco mais. Sócrates satisfez-lhe os dois primeiros desejos e a AR tem ar condicionado. Está tudo bem portanto. Os compromisso que deveriam contar para um socialista democrático podem ser esquecidos. Onde está o patriotismo de esquerda que animou a sua campanha presidencial? Onde está a ideia de que isto ainda é um país independente que deve poder decidir o seu futuro colectivo sem se submeter a pressões externas?

5 comentários:

mariano disse...

Custa-me escrever isto, Manuel Alegre é apenas um fantoche que anima a politica de hoje na assembleia da republica. Sócrates ouve-o porque sabe que muita gente vota PS por causa dele ainda lá estar, mas este povo tivesse olhos na cara e dois dedos de testa percebia que Sócrates espetou a faca nas costas do "Manel" para as presidenciais. Não passa de mais um que vai contrariando a sua maioria e que não se cala, mas falta o resto, a ala esquerda.

Pedro Sá disse...

Mais vale tarde que nunca, e o João agora apercebe-se do enorme vazio que Manuel Alegre é.

josé manuel faria disse...

Alegre para ser consequente deveria ter saído do PS.

mariano disse...

josé manuel faria, isso eu pensei e não o escrevi, mas quando teve o apoio do movimento que gerou à sua volta e o resultado eleitoral, muito acima do candidato do PS, deveria ter saído do panorama politico-partidário do PS. Não digo que deixa-se a militância mas batia com a porta na cara de quem a abriu. Estar ao lado depois da desfeita não serve de desculpa para vir dizer que não quer dividir o eleitorado PS. Ou é uma coisa, que neste caso é do contra, ou então revela-se mais uma ovelha do rebanho, neste caso é a negra.

João Rodrigues disse...

Nunca tive grandes ilusões em relação ao Alegre. Não sei se é um vazio. Mas que parece ser pouco consequente, como José Manuel Faria afirma, lá isso parece. Falta, como diz o Mariano, a ala esquerda.