terça-feira, 29 de janeiro de 2008

FMI?

Durante duas décadas as políticas do Fundo Monetário Internacional consistiram na aplicação intransigente da última tralha ideológica que passava por macroeconomia ortodoxa por esse mundo fora. Cortes nas despesas e liberalização que o «mercado» faz o resto. Com os resultados catastróficos habituais. Keynes, que imaginou o FMI como pilar de uma ordem económica mundial progressiva, dava voltas na campa. Agora a crise já não é na periferia ou na semi-periferia, mas atinge o centro da economia mundial. Aqui a ortodoxia fica mesmo nos departamentos de economia. O FMI veio agora repudiar décadas de pacotes de «estabilização» ao dar o seu aval à política de vigorosos estímulos fiscais proposta para a economia norte-americana. Estamos muito longe da ideia neoliberal de que «a melhor política económica é ausência de política económica».

Sobre isto vale a pena ler este artigo de opinião no Jornal de Negócios.

2 comentários:

Pedro Sá disse...

Claro, o que é bom é o despesismo...

Joao disse...

como ee que o despesismo pode ser bom? isto ee um ooximoro nao?

mas despesa nao ee igual a despesismo...

jaa agora, uma vista de olhos nesta descricao do problema do sub-prime: http://farmaciacentral.wordpress.com/2008/01/30/posto-de-uma-forma-simples/