terça-feira, 22 de abril de 2014

Fraude e escândalo

Rompuy diz que vão ser os governos a escolher sucessor de Barroso. Claro que vão. Como já aqui defendi, a ideia de que haverá uma qualquer eleição para Presidente da Comissão Europeia não passa de uma fraude. Entretanto, o chefe dos socialistas no Parlamento Europeu mostrou-se escandalizado com a declaração de Rompuy. Escandolosa é a cumplicidade e as ilusões que tantos socialistas ainda alimentam em relação a um processo de integração feito para destruir a social-democracia ali onde esta pôde florescer. Uma pista: não foi nos corredores de Bruxelas.

4 comentários:

João disse...

Que Diabo, tanta surpresa com os socialistas (não fosse isto ser um blogue de gente tão bem vestida e eu até diria antes, chuchialistas), porquê? Alguém já viu de um ovo de galinha, nascer outra coisa que não seja um pinto? E então, sendo assim, de que ovo nasceram os chuchialistas (lá estou eu a pender para o vernáculo outra vez, valha-me Deus!)? Não foi do mesmo de onde nasceram tantos, que agora os contemplam, admirando-se com o que vêm? A biologia é uma coisa "lixada", não é?

D., H disse...

“Segundo Van Rompuy, aliás, as baixíssimas taxas de participação eleitoral dos últimos escrutínios europeus, inferiores a 50%, são um sintoma dessa compreensão dos eleitores sobre quem manda.”

Curioso é que Rompuy também não foi eleito por ninguém, ele mesmo faz parte da fraude. É impossível engolir tudo isto, e “participar alegremente” nesta pseudo-democracia europeia…

R.B. NorTør disse...

Mais gravoso do que o que Rompuy diz, ele que não passa de uma figura tão poderosa como o Aníbal, é o que disse o presidente do grupo europeu a que pertencem PSD e CDS, o PPE.

Exortou este senhor, recentemente reeleito, os governos com membros da sua família, a ignorarem os resultados das europeias na hora de nomearem os comissários, nomeando antes alguém da sua família.

Não que em Portugal seja de estranhar, pois de que outra forma abdicámos nós de ter um comissário nos últimos 8 anos, senão ao arrepio do que foram os resultados das europeias?

Aleixo disse...

Não é por acaso, o denegrir sistemático da Democracia Directa, pelos "instalados do sistema"!

Quantos mais colégios (... e mais restritos!), mais eficaz será o desvirtuar da vontade da maioria!