terça-feira, 8 de abril de 2014

Escolhas


«Os alunos que chumbam saem muito caros ao Estado, os doentes saem muito caros ao Estado, os reformados saem muito caro ao Estado, os trabalhadores saem muito caro ao Estado, os desempregados saem muito caros ao Estado, as crianças em instituições sociais saem muito caras ao Estado, os mais desfavorecidos saem muito caros ao Estado, os professores saem muito caros ao Estado, os médicos saem muito caros ao Estado, os enfermeiros saem muito caros ao Estado, os técnicos saem muito caros ao Estado, as lojas do cidadão saem muito caro ao Estado, as repartições de finanças saem muito caro ao Estado, os centros de saúde e os hospitais saem muito caro ao Estado, as escolas saem muito caro ao Estado, a investigação sai muito cara ao Estado - já para não falar dos correios, dos transportes, da água, da eletricidade que também saíam muito caro ao Estado e agora continuam a sair, mas sempre há alguém a ganhar com isso.
Os swaps, os contratos PPP, os bancos falidos e corruptos, os submarinos, as autoestradas, os pareceres, as prescrições, as comissões de acompanhamento, a promiscuidade público-privada não têm preço porque são cenas da vida deste Estado novo que estamos a construir, ok? Agora saiam da frente e não incomodem.»

Filipa Vala (via facebook)

5 comentários:

Anónimo disse...

Na mouche!

É vê-los, aos propagandistas do regime do estado novo, replicarem até à exaustão o denunciado aqui pela Filipa.
Sem pudor e sem vergonha dirão (quase que em passo de ganso?):
"Saiam da frente e não incomodem"

De

D., H disse...

Um Estado novo, na sua pior faceta: policial e coercivo, enorme cobrador de impostos, nebuloso, e que serve sobretudo para municiar as negociatas que a Filipa bem enuncia.

Jose disse...

Os que não exigiam que se parasse enquanto andaram a fazer swaps criativas, PPP e dívidas à ganância vêm agora, que acabaram as benesses que lhes enchiam a boca de silência, armarem-se em virgens surpreendidas e violadas.
Falta de vergonha!

Anónimo disse...

Jose esta completamente equivocado.O saudosista do néscio e pútrido salazar finge que não sabe quem governou o país e o país governa.
José está equivocado ou finge estar.Oculta a informação preciosa que quem governou o país foi a direita mais ou menos neoliberal, mais ou menos pesporrena.
José quer fazer passar a bola para o outro canto.Esconde que metade do governo do cavaco está relacionado com actividades criminosas.Que metade da cúpula do PSD na altura em que o cavaco era o líder tem processos judiciais às costas.Esquece-se dos submarinos do seu amado e dilecto amigo , o Portas ou dos sobreiros com que o PP alindou a paisagem das suas vivendas.Esquece-se ou quer-nos fazer esquecer da governação terrorista de coelho/portas ao serviço dos grandes interesses económicos, da troika e dos corruptos que nos governam.
Esquece-se do relvas, um exemplo vivo da canalhice governamental ou da ministra-swapp um exemplo vivo da falta de decência e de oportunismo político, a fazer passar por mulheres bem mais honradas quem à note se protitui.

Porque jose que fala em virgens violadas tem mais afinidades com um sórdido violador tentando esconder o óbvio:
Que as benesses dos "donos de Portugal"no tempo do fascismo, outros gordos , néscios e pútridos personagens, continuam, como continuam os mesmos donos a serem os donos de Portugal
A questão de facto em relação ao jose é mais do que falta de vergonha. É também cumplicidade, bajulice, subserviência,lambe-botismo, em relação a quem governa.
E sobretudo um posicionamento ideológico que vai mostrando a sua face à medida que a verdadeira face deste governo se vai revelando a cada dia que passa.

De

Anónimo disse...

Cada vez que se lembram dos swaps, dos contratos PPP, dos bancos falidos e corruptos, dos submarinos, das autoestradas, dos pareceres, das prescrições, e da promiscuidade público-privada , abanam a carroça. Não pode ser. Só devemos falar da divida que tem de ser paga, e que os Cortes valem a pena