sexta-feira, 20 de abril de 2012

Da «equidade na austeridade»

«As pessoas estão totalmente disponíveis para os sacrifícios e para trabalharem mais, para o país ter êxito nos programas de ajustes, se a partilha do esforço for vista como sendo justa. Como tal, temos estado constantemente preocupados com a concepção dos cortes na segurança social, no sistema de saúde, quando aumentamos impostos, para protegermos os menos favorecidos e os mais vulneráveis.»

Estaria o ministro Vítor Gaspar a pensar nisto e nisto (entre outros possíveis exemplos), quando produziu anteontem, com total despudor, esta inacreditável declaração?

3 comentários:

Anónimo disse...

Assumir que as pessoas estão totalmente disponíveis para sacrifícios sem as ter consultado representa por si só um acto de apropriação.

antónio m p disse...

A anatomia do corpo humano tem esta "vantagem": permite rezar com a boca e roubar com as mãos, tudo ao mesmo tempo.

joaquim silva disse...

este ministro não é tão parecido com o gato(gaspar) do dep. Honorio Novo(pcp),mas sim com o mrs.Bean,excepto quando fala(que a todos faz chorar)porque nos transporta a todos para a idade da puberdade.Ó Deus meu porque quizes-te que a vaidade e o dinheiro fossem um só?