sábado, 13 de janeiro de 2018

Uma filosofia sobre o outro que o torne desumano

«Do ponto de vista de escala de valores, teríamos em primeiro lugar os “europeus” capazes de pensar; em segundo lugar, as máquinas, criadas por eles, capazes de assumir a liquidação de “sub-humanos”; e, em terceiro lugar, todos os bípedes não brancos e não pertencentes às monarquias do Golfo que andam pelas terras pobres. Nas cidades da Europa e dos EUA, a lógica repete-se: ser cidadão depende muito da cor da pele e do bairro onde se habita.
Para isto acontecer com os drones, e como acontece no dia-a-dia em países como Israel, é preciso uma filosofia sobre o outro que o torne desumano. Só isso pode justificar que sejam presos menores e condenados a penas de dezenas de anos de cadeia. Isto só é possível porque há uma ideologia, não publicamente assumida, de que há humanos e que há outros bípedes que podem ser agredidos, detidos, torturados e mortos.
O caso da prisão da adolescente palestiniana Ahed Tamimi é um símbolo dessa ideia de uma raça superior que tem o direito de matar tudo o resto. A jovem de 16 anos tentou a agredir soldados israelitas minutos depois de o seu primo de 15 anos ter recebido na cara um tiro, à queima-roupa, de uma bala de borracha, ficando às portas da morte. Foi detida juntamente com os seus familiares e arrisca, segundo a imprensa local, uma pena de prisão que ultrapassa os dez anos. Não consta que o militar israelita que disparou contra o primo tenha qualquer problema em continuar a fazê-lo. A legislação israelita prevê a prisão de crianças a partir dos 12 anos. O caso que acontece todos os dias na Palestina ocupada só teve um maior destaque porque as redes sociais viralizaram o sucedido e a jovem, que já se tinha oposto, com 12 anos, ao derrube da sua casa, é loura e tem os olhos azuis, como uma europeia.»

Nuno Ramos de Almeida, Os não europeus não pensam? (a ler na íntegra).

15 comentários:

Jose disse...

Recordemos de passsagem que as crianças palestinianas mobilizadas com suas faixas na testa e armas nas mão, preparadas para um martírio que trará créditos materiais e sociais às suas famílias, são OUTRAS crianças, tornadas desumanas, ambicionando morrer matando.
Mas estou certo que em algum lugar está preparado um qualquer discurso que define tudo isso como uma 'justa luta'.

esteves, ayres disse...

Não vou fazer nenhum comentário de fundo, mas respondendo alguns ditos defensores da democracia de pacotilha, o que tenho para dizer, é que as crianças e jovens palestinianos quando se defendem, e com pedras... Se por ventura fossem com armas sofisticadas, decerto que aquele lugar já não existia…e fico por aqui
Viva o Povo Plestina!

Anónimo disse...

Está certo o dito jose quando diz que virá aqui alguém defender a "justa luta" dos facínoras que promovem o terrorismo de estado, ou seja os big boss israelitas.

Objectivamente falando é o que faz o próprio jose

Anónimo disse...

Mas o asco do comentário do jose vai mais longe.

A forma como abjectamente fala nas crianças "preparadas para um martírio que trará créditos materiais e sociais às suas famílias" é digna de um tipo que elogiava a Pide e os seus bons serviços.

Este discurso rasca e falso serve de discurso desculpabilizador para os crimes inenarráveis que se cometem naquela terra. Um discurso de cumplicidade para quem ocupa, tortura e mata o outro, daquela forma canalha que se tornou imagem de marca do poder em Israel.

A ambição maior de Jose é mesmo essa. Antes defendia Salazar que mandava matar e morrer em África.

Agora defende a eliminação das crianças que segundo afirma foram tornadas desumanas. Ambiciona matá-las para que não estorvem os ocupantes.

Zeca Gancia disse...

Caros Amigos:
Não devemos precipitar-nos e cair nos radicalismos.A incapacidade de compreender certos fenómenos que nos entram já formatados casa dentro ou embrulhados em papel jornal, prende-se tão somente com isto, uma grande iliteracia geo-politica e uma demagogia clamorosa. No âmbito da docência da geografia, atrever-me-ei a lançar algumas pistas na esperança de que possamos doravante, perceber o que se passa no "médio oriente" para nós, mas o centro do mundo para eles; os que por lá nascem e morrem.
1-Israel e o que resta da Palestina são um submarino numa grande área que está pejada de grandes reservas de combustíveis fosseis, entre eles gás ,petróleo ,metais preciosos dos quais o Ocidente depende quase inteiramente para a sua industria e comercio e sustentabilidade de um modelo de desenvolvimento "per si" insustentável.
2-A declaração dos direitos humanos é uma cartilha só para alguns respeitarem e outros utilizarem a bel prazer, colocando estrategicamente gurus obedientes a certas politicas.
3-A geografia de cada espaço dita que para que ele seja sustentável, deverá ser respeitado no uso dos seus recursos. Em Roma sê romano, como podem israelitas viver à europeia, num contexto de deserto, onde nadam em piscinas, fazem campos de golfe e onde os seus vizinhos tem dificuldade de água para beber?
4-Porque será que Israel está todo ele verde, cultivado e os os palestinianos não têm hortas?
5-Aquando da guerra dos 6 dias e com a tomada dos montes Golã, para onde foram desviadas as nascentes?
6-Porque têm os israelitas taxas de nascimento à europeia, enquanto os palestinianos não? Na faixa de Gaza cada mulher tem uma taxa de natalidade de 5,2 filhos.
7-Serão estas taxas de natalidade que amedrontam os israelitas, fazendo-os enganar nos bombardeamentos que fazem por vezes, onde atingem exactamente escolas e hospitais onde a ONU referiu estarem só crianças e mulheres.? Será que objectivo não é mesmo esse?
8-O que é que doí mais, uma fisgada na cabeça ou um tiro de borracha nas nádegas?
9-Porque há grande taxa de suicídio entre os militares israelitas? Porque são perseguidos impiedosamente se não quiserem cumprir serviço militar?
10-Porque pagam principescamente a jovens casais israelitas em idade de procriação, para se fixarem nos colunatos e ainda lhe oferecem guardas costas dia e noite?
11-Porque não migram todos os israelitas para a sua terra prometida, escusando-se a viver na Diáspora global?
12-Porque abanam as falsas bandeiras da religião para fazer guerra, quando na verdade já viveram cristãos, muçulmanos e judeus em paz e harmonia?
13-Quem não é capaz de matar se não tiver água para beber?
14-Se as reservas do Golfo Pérsico estivessem localizados na Panasqueira, o nosso país iria viver em paz?
Estão aqui algumas pistas que não passam pelos jornais e telejornais, mas desafio os meus amigos a dar um mergulho num balde de água suja com capacidade de 10 litros.Gostaram?
Deus dei-a juízo e clarividência aos homens.






4-

Jose disse...

Já cá faltava a escroqueria de quem se sente autorizado a reescreve o que digo, a detalhar crenças e intenções à luz da sua própria perversão, da sua miserável missão de fanáticos propagadores de todo o mantra esquerdalho.

Anónimo disse...

Um excelente, muito excelente artigo do Nuno Ramos de Almeida que vale a pena mesmo ler todo

"A pergunta retirada de Hamid Dabashi “Os Não Europeus Pensam?” serve para nos esclarecer duas coisas: a base do massacre dos pobres e dos povos explorados deste mundo começa numa operação ideológica em que lhes é retirada a sua humanidade. E, bem vistas as coisas, é mais provável que os carrascos ditos europeus não pensem do que as suas vítimas não sejam humanas. O sofrimento é humano, a violência dos carrascos é inumana".


Anónimo disse...

A 12 de Janeiro de 2018 às 23:08 Jose escrevinhava aquilo que lhe vai na alma, proclamando desta forma sui generis os seus princípios rácicos sobre os "não europeus" que perturbam a sua sonhada sociedade coesa e culturalmente coerente

"Não há mérito que não seja depreciável pela treta progressista.(Se) queres viver numa sociedade coesa e culturalmente coerente, provavelmente és (acusado de) xenófobo e racista".

https://ladroesdebicicletas.blogspot.pt/2018/01/capitalismo-imobiliario.html

Agora mostra esta podridão de pseudo-virgem ofendida ao ver ser desmascarada a canalhice de quem abjectamente cita os "créditos materiais e sociais às suas famílias" como leit motuiv desculpabilizador e conivente com os crimes lá praticados

Cumpre a sua miserável missão de fanático propagador de todo o mantra xenófobo e racista duma sociedade coesa e culturalmente coerente, que não gosta das crianças palestinianas. Crianças estas que não ambicionam morrer matando , como nesciamente diz Jose, mas que apenas querem viver na sua terra, em paz e com dignidade, sem a pulhice imunda que lhes tira o direito à vida

Mandar matar e morrer em áfrica fazia Salazar. Mas passeava de pantufas em S Bento , quando despia as botas que utilizava para a função.

Anónimo disse...

"a base do massacre dos pobres e dos povos explorados deste mundo começa numa operação ideológica em que lhes é retirada a sua humanidade"

Atentemos bem neste aviso de Nuno Ramos de Almeida. E vejamos como este Jose retira a humanidade às crianças palestinianas acusando-as de um "martírio que trará créditos materiais e sociais às suas famílias". Insulto venal e gratuito completado por uma sua outra tirada em que directamente transforma as crianças como desumanas por "ambicionarem morrer matando".

A violência dos carrascos é mesmo desumana, como diz o Nuno

Um verdadeiro carrasco subscreveria as palavras deste Jose.

Jose disse...

Não há fanatismo, nem fundamentalismo que a esquerdalhada não branqueie, assim lhes pareça que possa denegrir o Ocidente, ainda que invocando os valores de que só o Ocidente se reclama.

Guia disse...

Excelente artigo que deve ser lido até ao fim, obviamente!
Concordo com o comentário de "Zeca Gancia"... só acrescento isto: O QUE É GRITANTE E ESCANDALOSAMENTE CRIMINOSO É O MUNDO INTEIRO ASSISTIR À CARNIFICINA - SIM, CARNIFICINA! - DO POVO PALESTINIANO...E O ESTADO DE ISRAEL CONTINUAR IMPUNE!!!...PARA ELES AS RESOLUÇÕES DA ONU SÃO CONVERSA DA TRETA...!
O que impressiona é como é que o povo judeu que atravessa a história da Terra com tanto ódio...e com tanto sofrimento...não hesita em continuar cada vez mais nazi na sua mentalidade e acção!

Anónimo disse...

O que se vê aqui é esse tal Jose branquear o crime e o horror.

Anónimo disse...

Será que tal branqueamento constitui um martírio que trará créditos materiais e sociais às suas famílias e ao próprio?

esteves, ayres disse...

Por fim: fraseando um cometário de um amigo meu:
"Organizam-se, por todo o mundo, manifestações e protestos pela libertação de Ahed Tamimi e todos os presos políticos palestinos, alvo da sanha repressiva , sionista e fascista das tropas ocupantes de Israel"!

Anónimo disse...

"invocando os valores de que só o Ocidente se reclama."

Como é que o Nuno Ramos de Almeida escreve um post tão certeiro que é confirmado ponto por ponto a posteriori pelo fraseado desse tal Jose?

"A pergunta retirada de Hamid Dabashi “Os Não Europeus Pensam?” serve para nos esclarecer duas coisas: a base do massacre dos pobres e dos povos explorados deste mundo começa numa operação ideológica em que lhes é retirada a sua humanidade. E, bem vistas as coisas, é mais provável que os carrascos ditos europeus não pensem do que as suas vítimas não sejam humanas. O sofrimento é humano, a violência dos carrascos é inumana".