terça-feira, 21 de junho de 2011

"Não é possível debater e divergir de forma clara e, no entanto, limpa de insinuações?"

"Alguns dirigentes do Bloco estão a gerir a derrota eleitoral da pior forma possível, procurando inimigos internos e acicatando o sectarismo para contornar o debate necessário".

É minha impressão ou esta frase não cumpre os critérios (sensatos) referidos no título do post (escrito pelo mesmo autor, no mesmo texto) ?

2 comentários:

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

resumindo

não...

(às duas asserções)

sb disse...

claro que podemos entrar pelos meandros dos problemas interpretativos, para colocá-lo de forma simples, mas penso ser impressão.

é que esse texto aponta o dedo ao coordenador do bloco, logo não insinua, e diz quem está a ser colocado de parte - seja como causa ou como consequência - e logo volta a não insinuar.

obviamente, podemos dizer que alguns é uma insinuação, que inimigos internos é outra, e que acicatar o sectarismo, é outra.

mas aponta dois nomes. como mínimo da não insinuação, não está mau.

o que me preocupa é isto: se o que se questiona é a lógica interna do discurso, de pinça na mão, é porque se quer realmente debater alguma coisa? ou talvez seja melhor não o fazer?

agora fiquei curioso. principalmente por não saber se há realmente um debate interno, se há sectarismo ou se são alguns, muitos ou um dirigente do bloco a gerir a derrota eleitoral.