sábado, 25 de abril de 2015

Um Presidente da Maioria que está em minoria

Cá temos Cavaco Silva ao lado do Governo nas Comemorações do 25 de Abril:

1) a elogiar que a economia já cresce e cria empregos, entroncando no discurso do Governo, esquecendo as enormes fragilidades do mercado de trabalho, a forte emigração, uma taxa de desemprego lato acima de 20% e que uma parte significativa do emprego criado é subsidiado;

2) a esquecer que a política por si defendida de redução dos "custos do trabalho" leva à falta de autonomia da juventude, à dificuldade de conciliação trabalho/família, à migração que agora critica;

3) ao criticar as estratégias de "conflito" e ao apelar à união no combate ao desemprego e protecção dos idosos, quando tudo o que foi feito - e foi defendido por si como imprescindível e obrigatório - levou a esse fim;

4) ao criticar os "populismos" e a "demagogia", quando esse sublinhado entronca na ideia passada pelo Governo de que as propostas alternativas - nomeadamente a nova proposta do PS - visam apenas captar votos e mentir ao eleitorado;

5) ao apelar ao combate à corrupção, quando é uma chamada de atenção subliminar ao preso do estabelecimento prisional de Évora, omitindo que ele que nada fez quando era PM, que se demitiu em tabu rodeado e vencido por interesses em torno do Estado e, aliás, deixou larvar os seus amigos em situações ainda por julgar, que, aliás, lhe deram a ganhar uns dinheiros;

6) ao defender a reforma do Estado e criticando a forma como o debate sobre esse tema assumiu um "combate ideológico", quando ao colocar a questão nesses termos acaba por alinhar com a linha de argumentação de um dos lados;

7) ao defender a redução de apoios do Estado social como garantia da sua sustentabilidade;

8) ao traçar um desenho optimista e notável do que se conquistou em 41 anos, sem criticar os fortes recuos verificados nos últimos anos;

9) ao criticar a "crispação" política, os "ataques pessoais", a "violência verbal" no debate público, o que entronca como uma luva ao "escrutínio" da vida de Passos Coelho;

10) ao apelar a um compromisso político que nunca defendeu quando o PS era Governo;

11) ao apelar à esperança na comemoração do 25 de Abril, minorizando as críticas da oposição de que a situação actual está bem pior e entroncando na linha política oficial de que tudo está a melhorar e apenas se tem de consolidar o conseguido.

Não é de estranhar que a sua intervenção tenha sido interrompida diversas vezes pelos deputados da Maioria.

9 comentários:

Jose disse...

Análise canhestra da situação... ter que dizer mal nem sempre facilita o discurso.
A maioria PSD-PS-CDS já validou, directa ou indirectamente, as políticas que permitem pensar em futuro.
E propõem-se prossegui-las!

disse...

claro que precisamos dum compromisso político, mas contra estas políticas, esta maioria, este governo, este presidente (José Luís Albuquerque)

João Ramos de Almeida disse...

"Análise canhestra da situação". Admito que não consigo aceitar com benévolas as palavras de Cavaco Silva. Sempre foi um político de punhais e intriga, com a aparência de técnico, e de técnico incompetente. Foi ele quem levou a cabo a política eleitoralista de Sá Carneiro que nos levou à segunda vinda do FMI nos anos 80. Foi ele quem introduziu esta política de moeda forte nos anos 90, com a intenção de preparar a nossa economia para a internacionalização e que nos trouxe onde estamos e que - como diz - "permitem pensar em futuro" sem futuro que não este - prolongar a agonia de um país desigual e a esvair-se. É um homem de vistas curtas com pretensões de grande estadista, mas que não resiste à pequena política de se colar ao Governo do seu partido. Faz sentido, mas ao menos não minta, não use palavras redondas quando pensa noutra coisa.

Jose disse...

Não dou um cavaco pelo Sr. Silva mas o que disse faz sentido e importa pouco o que seja subentendido.

Anónimo disse...

ULTIMA HORA
PORTUGUESES AFINAL ESTE GOVERNO TAMBEM É CORRUPTO


http://www.noticiasaominuto.com/politica/380854/vice-do-psd-acusado-de-corrupcao-queixa-ja-esta-na-pgr

Anónimo disse...

https://www.youtube.com/watch?v=86LSuXi5TLU

lidiasantos almeida sousa disse...

https://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=UQ0dML_br34

lidiasantos almeida sousa disse...

https://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=939VWvaqfeg

Anónimo disse...

Não dá um cavaco?

As odes ao cavaco e à maioria que parece que "validou" (isso é conversa da treta)as políticas que permitem pensar em futuro ( isto é conversa do cavaco e da governança) estão escondidas pelo "que faz sentido"

Sem a coragem e a frontalidade de o assumir

E escondendo que o que aqui interessa não é o "subentendido" com que se tenta escamotear o que se debate.É mesmo a substância da questão. Dum governante invertebrado cobarde, ignorante e boçal ,lambe-botas e troikista, afiançador da direita-extrema e da política de saque.

Faz sentido ,então não faz?
Tal como salazar fazia sentido para os do antigo regime, ricardo salgado fazia sentido e era elogiado (até duma forma piegas pelo próprio jose) atá a realidade demonstrar que o capital é intrinsecamente mafioso e o portas e passos faziam sentido com salvadores da pátria até serem apanhados a saquear o pais às cócoras da merkel e a salivarem em alemão

De