quinta-feira, 9 de abril de 2015

Esquerda e soberania

video

A Grécia mostra-nos, antes de mais, que a União Europeia adquiriu a segunda natureza de uma entidade completa e irremediavelmente neoliberal, e que não lhe retiraremos esta segunda natureza sem a fazermos passar pela morte – repito os termos da alternativa: sofrê-la, destruí-la, ou fugir dela. Entretanto, esta União europeia está muito decidida a arrancar a pele a quem a contradiga – terrível lição, assim, para todos os ingénuos que sonhavam com uma transformação do euro a partir de dentro e pela força da democracia.

A Grécia mostra-nos isto, mas mostra-nos sobretudo outra coisa: ela mostra-nos um corpo político que, em movimento, avança sozinho. Um corpo político, em movimento, é a soberania. Avança sozinho: neste caso, e contrariamente às aparências, trata-se de internacionalismo real, já que é evidente que o que se passa na Grécia nos diz respeito, nos convoca, e deveria motivar-nos – é isto o internacionalismo concreto.

Frédéric Lordon, "Leçons de Grèce à l'usage d'un internationalisme imaginaire (et en vue d'un internationalisme réel)", Les blogs du Diplo.

9 comentários:

Jose disse...

O sonho que sempre norteou a esquerda-caviar: caminhar para o socialismo financiada pela economia capitalista.

Uma espécie de capitalismo suicidário provavelmente dando-se ares de quem resiste para poder manter o mantra mobilizador da 'justa luta'.

Anónimo disse...

Perante a acusação frontal e grave de Lordon o que faz "jose"?

Fala em "esquerda- caviar", ele ,logo ele que mostra com frequência a sua pieguice quando se queixa que atiram ao mensageiro em vez de à mensagem.

Mas o esforço de jose para fugir ao que é denunciado no post é ainda,permita-se a acusação, mais desonesto.Fala em "socialismo" daquela forma primária como os ideólogos de salazar falavam, quando o que é referido pelo post é o imenso lodaçal da UE, anti-democrática e neoliberal .Forma de fuga evidente, mas forma de fuga caluniosa e repelente.

Mas há ainda uma outra coisa:

O insulto puro e gratuito.
Repare-se.Para jose parece que não se resiste...que se finge apenas que se resiste. E que "quem luta" o faz de acordo com os julgamentos obscenos de um neoliberal que faz tudo para manter este status quo podre e asfixiante

De

Aleixo disse...

O PROBLEMA ESTÁ,

NOS CAPACHOS LAMBE-BOTAS
QUE CAPTURARAM OS CENTROS DE DECISÃO DA
democracia representativa E,

EM nome DO POVO...

DECIDEM CONTRA O POVO.

A PODRIDÃO DA
democracia representativa
É TANTA QUE...

OS CAPACHOS LAMBE-BOTAS,

NEM QUEREM OUVIR FALAR DA VONTADE DO POVO.

PARA ESTES CRÁPULAS,
SOBERANIA...
SÓ SE FOR A DA representação.

Anónimo disse...

Olha outro.

""O desemprego baixou, as exportações aumentaram, as finanças públicas melhoraram, Portugal beneficia da confiança dos investidores, resultados que advêm das reformas e são claramente fruto dos sacrifícios dos portugueses", afirmou o primeiro-ministro francês."
http://www.noticiasaominuto.com/economia/373433/valls-reconhece-regresso-do-crescimento-a-portugal

Jose disse...

O povo que a esquerda festiva invoca como seu, é o povo convocado a responder à grande questão ideológica que é tudo o que pode produzir: quereis mais e melhor?
E vão-se os esquerdalhos a proclamar que o povo declarou a sua vontada soberana.
PALHAÇADA!

Anónimo disse...

Desaparecido o "ataque ao mensageiro" ouve-se alguém falar na "grande questão ideológica".

O que motivaria uma imensa e sonora gargalhada se por baixo de tal enormidade não se adivinhassem
duas coisas:
- o ódio à soberania popular
- algum desvario traduzido no berro.

Coisas que traduzem outras coisas, que não fazem de modo nenhum sorrir

De

Jose disse...

Desespera DE no seu canto!
À mingua de argumentos conformes ao real, a todo otempo se conforta figurando nos adversários sinais de irritação, desvario, raivas e desesperos.
Enfim...

Anónimo disse...

Sem que isto interesse nada para o debate queira o sr José ( ou Jgmenos, nick abandonado para apagar o percurso de argumentos não conformes ao real?) saber que as ditas maiúsculas traduzem regra geral o grito e o berro. Umas vezes irritado, outras vezes desvairado, outras raivoso, outros desesperado, outras apenas por "descuido".
Regra geral com a sua pontinha histriónica

Mas o tema do debate permanece, o da soberania dos povos, e há que a ele voltar porque é isso que de facto interessa. Embora se perceba que é precisamente isso que não interessa ao sr jose.

De

Anónimo disse...

Enquanto isso o Livre/Tempo de Hesitar quer se juntar à Centro Direita, o PS e toda a gente que assine as ideias vagas de Rui Tavares. Até o João Miguel Tavares os apoia.