domingo, 24 de julho de 2011

Tipos de terrorismo?


Há qualquer coisa de chocante nas condenações de “qualquer tipo de terrorismo” por parte de dirigentes de partidos de direita em todo o mundo (mas também do neo-eleito secretário-geral do PS português). A que propósito “qualquer tipo”? É como se o terrorismo fosse normal quando vem “de fora” e tivesse alguma coisa de estranho quando vem “de dentro”.

2 comentários:

Banda in barbar disse...

o conceito de terrorismo é algo vago

o conceito de terrorista seja um norueguês ou um Lenine que lança o terror vermelho para limpar e purificar um povo incapaz de ser adaptado à revolução

é o mesmo
alguém que tal como um empresário de sucesso se consegue abstrair do material humano com o qual mantem relações

basta apenas considerar os restantes seres humanos como descartáveis

empecilhos para uma sociedade melhor

sejam desempregados, sem abrigo
ralé humana, ou jovens e promissores de uma juventude partidária qualquer

ou velhos e reformados

para o caso tanto faz
que seja ecoterrorista, ou accionista terrorista
ou sócio maioritário-terrorista
ou político-terrorista

entendido?
nem por isso né...

O sofrologista católico disse...

Anders Behring Breivik
"Breivik's father was a Siviløkonom (Norwegian professional title, literally "civil economist"), who worked as a diplomat for the Royal Norwegian Embassy in London (and later Paris). His father currently lives in France as a pensioner and had no contact with his son after 1995. His mother was a nurse. He has two half-brothers and two half-sisters, from the previous marriages of his parents. His parents divorced when he was one year old and his mother together with him and his half-sister moved from London back to Oslo."

(http://en.wikipedia.org/)

Queria chamar a atenção para os sublinhados. Tudo o resto (pretensos motivos ideológicos, etc.) são pretextos, disfarces.