segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Vistos a partir do estrangeiro, os contornos de um golpe de Estado tornam-se ainda mais nítidos, não é?


«O presidente português, Aníbal Cavaco Silva, desencadeou na passada quinta-feira um debate sobre o futuro da democracia europeia ao reconduzir o primeiro ministro de centro-direita, apesar de os resultados eleitorais terem dado a maioria dos assentos parlamentares a três partidos de esquerda. No seu discurso, o presidente lembrou que o partido com mais votos sempre formou governo (...) [referindo] contudo que a sua decisão era determinada pelo desejo de evitar confrontos com a política fiscal da zona euro, mais do que por considerações sobre as tradições políticas portuguesas. (...) O Bloco de Esquerda e o Partido Comunista são considerados "eurocépticos", mas o Partido Socialista, que se dispõe a formar governo, está firmemente comprometido com a permanência na zona euro. (...) António Costa Pinto, professor de Ciência Política, [considera que] "o presidente não pode excluir, da democracia portuguesa, dois partidos que representam um milhão de votos e 20% do eleitorado". Se o fizesse, isso significaria que "nos dias que correm, e em particular na periferia da Europa, os partidos que não apoiem as estritas orientações políticas da zona euro não contam".»

The Huffington Post, Brechas na democracia portuguesa sob o peso da austeridade

«Passados apenas onze dias após a sua constituição, o governo de Passos Coelho foi derrubado anteontem pela esquerda portuguesa, através de uma moção que deixou evidente o facto de os conservadores não terem uma maioria parlamentar suficiente. (...) Extravasando as funções de neutralidade que lhe são exigidas pelo cargo, o Chefe de Estado português teimou que seria o seu correligionário Passos Coelho a formar Governo. Neste momento, Cavaco tem duas opções: manter um executivo em funções até que se possam voltar a realizar eleições - em Junho de 2016 - ou atribuir o governo à esquerda. As regras do sistema parlamentar luso e o respeito pelos resultados obtidos nas urnas exigem que Cavaco tome esta segunda opção.»

El Mundo, Cavaco deve respeitar a maioria da aliança de esquerda

«O primeiro ministro lusitano, demitido pelo parlamento na passada terça-feira, solicitou uma revisão urgente da Constituição para permitir novas eleições. (...) A recusa da direita em aceitar a sua derrota no parlamento explica-se pelo sentimento de vitória na noite de 4 de Outubro. Mas os partidos de esquerda não podem ser considerados como agentes de um "golpe de Estado". É verdade que esse acordo [entre PS, BE, PCP e PEV] não foi anunciado durante a campanha, mas a direita portuguesa esquece-se que o PS descartou claramente qualquer governo de "bloco nacional" com a direita. A legitimidade de um governo minoritário, em votos e em deputados, não pode ser considerada superior à de um governo cujo apoio parlamentar assenta na maioria de mandatos e de votos. Mesmo que o projeto desse governo seja incerto. Nos sistemas parlamentares este tipo de alianças é bastante comum.»

La Tribune, Portugal: A direita quer alterar a Constituição para permanecer no poder

Para lá destes ecos, na imprensa internacional, sobre o destrambelhamento da direita e a lógica de golpe e sabotagem que tem norteado a actuação de Cavaco Silva, vale a pena ler este texto de Francisco Louçã, no Público de hoje. Procurando descortinar as razões que levam Cavaco a nada decidir, passados já 43 dias após as eleições, Louçã avança com algumas hipóteses para explicar a demora do presidente: «nunca ter incluído o [presente] cenário nos seus quadros perfeitos e exaustivos»; a «simples mesquinhez [em não admitir] um governo com alianças à esquerda»; a consciência de que «esta é a [sua] última decisão que ficará registada nos livros de história»; ou ainda a hipótese de que Cavaco simplesmente «não sabe mesmo o que fazer», sabendo apenas «o que não quer (um governo Costa)» ou «o que não lhe permitem (um governo Passos e Portas em gestão)». Prolongando assim, sem alternativa, «a angústia da dúvida».

14 comentários:

Edgar disse...

Depois dos confrontos com o Tribunal Constitucional temos agora o confrontos com a Assembleia da República. Em resumo: há quem não goste da democracia!

Carlos disse...

Palpita-me que o Cavaco vai levar até ao limite a possibilidade dum governo de gestão. E estou quase a acreditar que é isso que ele vai decidir, bastando para isso receber alguns apoios...o que já tem acontecido por parte d alguns dos que ele já ouviu.

Anónimo disse...

https://www.lepartidegauche.fr/edito/grandola-villa-morena-33704

Eu disse...

http://www.tsf.pt/politica/interior/cavaco-lembra-que-esteve-5-meses-em-gestao-4887877.html

"Porque sei muito bem, muito bem o que aconteceu em Portugal quando as orientações adequadas não foram cumpridas", acrescentou.

Jose disse...

Se o estrangeiro diz que tem que ser, não há outra coisa a fazer...
Á TAP já está! Vamos entretanto tratar dos outros transportes.

meirelesportuense disse...

Eu acho que Cavaco estará já a conferenciar com as Cagarras -soube isso através de um grupo de gaivotas que passou sobre a minha habitação- pois são elas quem vai decidir quem será o novo Primeiro-Ministro Português. Aliás, foi assim que sucedeu em 2010 e o resultado está aí presente, bancarrota, dívida elevadíssima, redução de direitos e de rendimentos, estagnação da Economia Nacional...As Cagarras são assim, gostam de tudo muito estratificado e pouco asseado. O meu automóvel sabe bem do que eu falo. E o PRECSilva é homem que deve ter raízes ancestrais alentejanas, tudo muito lento e previsível...Nada de acelerações senão o homem entra em depressão e em crises Vagais...

Eu disse...

Estado Islâmico é financiado a partir de 40 países, "alguns são do G20"
Na conferência de imprensa que encerrou a cimeira do G20, o presidente russo garantiu ter mostrado imagens aéreas que demonstram "claramente" o tráfico "ilegal de petróleo".

http://www.tsf.pt/internacional/interior/estado-islamico-e-financiado-a-partir-de-40-paises-alguns-sao-do-g20-acusa-putin-4888254.html

maria disse...

Dá mesmo vontade de ouvir os Gaiteiros de Lisboa no seu tema das aves! O falcão estende a sua asa/mão às tropas que desfilam em parada...

Acho que foi este que disse a Mãrio Soares, enquanto presidente no fim de mandato, para sair com dignidade! pois o que digo a cavaco é que, já que os seus mandatos NÃO TIVERAM DIGNIDADE NENHUMA (ainda me custa acreditar como esta besta foi eleita...)
SAIA COM DIGNIDADE RESPEITANDO A ASSEMBLEIA DA REPUBLICA, JÁ QUE NÃO CONSEGUIU RESPEITAR A CONSTITUIÇÃO!!!!!!!

Anónimo disse...


É com pesar que assisto a uma arena política institucional insalubre, criada pelo presidente da Republica com apoio da generalidade das cagarras, gaivotas e flamingos e, dos orgaos de comunicaçao social publica e privada com o firme des/proposito de retirar cada vez mais possibilidades reais ao povo portugues.
Acho que ao manter o primado da “Consertaçao Social” (parceiros sociais) sobre a Assembleia da Republica (Deputados” mantendo a antiga ideia de permitir que “ O acordado prevaluça sobre O legislado – “A Tradiçao sobre a Lei”, configurando uma retirada absoluta de direitos de milhoes de trabalhadores ou qualquer pretensão de justiça social, e, para enterrar de vez com a Constituiçao da Republica---A proposta de passos Coelho sobre a constituiçao consubstancia incertesas sobre a Democracia existente…De Adelino Silva

Anónimo disse...

Estou ca´ cogitando que a coisa – União Europeia -- não vai ficar por aqui…A capacidade de transformação do capital financeiro continua a ser enorme. Este sabe de fonte segura que o final esta próximo…Os ataques a que a EU tem assistido e sem poderem desvincular-se deles da´ para congeminar tramoias de todo o tamanho.
Bem entendido, esta União não e´ nem nunca foi um Imperio, nem na sua genesis esteve para sê-lo. O Plano Marshall teve muito a ver com uma Europa destruída, vendo-se em abraços com uma União Soviética vencedora. O eurodólar veio colmatar, fechar as portas da europa ocidental a brecha para o movimento comunista internacional. Foi esse o seu papel principal. O império do Tio Sam estava intacto e não via com bons olhos a queda dos seus vassalos perante o movimento dos Comunistas. Todos os arranjinhos que obstaculizassem o poder Soviético, ate a´ OTAN, serviam-no -- as ditaduras ibéricas de Franco e Salazar, o mundo colonial e a CEE, hoje EU. Hoje, o TIO SAM já´ não e´ o mesmo e não necessita mais de vassalos useiros e vezeiros. Hoje quem esta´ no Kremlin e´ o espertalhão Putin e não o alcoólico Yeltsin. O êxodo afro-asiático para a Europa, causado pelo complexo de guerra ocidental, tem muito a ver com a queda desta mesma Europa. De Adelino Silva

Anónimo disse...

Jose disse

"...se o estrangeiro diz que tem que ser"
por aqui se vê ao que estes sabujos vêm
são traidores e cobardes e nem se importam de o dizer às claras porque a justica institucional não existe, pior, movimenta-se num lodaçal

A.C.F. disse...

Ventos de mudança sopram sobre o nosso país! Qual constituição! Qual voto do Povo!Qual Democracia! Daqui para o futuro, rasga-se a Constituição, muda-se o povo e pergunta-se ao iluminado Sr. Silva quem é que vai governar! Quero crer que, pelo andar da carruagem, ainda vamos apanhar com um governo tecnocrático isento... de direita!

idalete Giga disse...

O que se está a passar em Portugal, revela bem a incompetência não só do desgoverno da coligação que perdeu a maioria na AR, mas também e isto é ainda mais grave, do PR que é o padrinho da coligação. NUNCA FOI O PRESIDENTE DE TODOS OS PORTUGUESES (!) Alíás, a estranha vitória de Cavaco Silva foi toda ela cozinhada pela alta finança, sobretudo o DDT que lhe deu de mão beijada 3 milhões....
Infelizmente, os portugueses andam a dormir desde há muito. Chegou a HORA DE TODOS ACORDARMOS E MANDARMOS NÃO SÓ ESTE DESGOVERNO MAS O INÚTIL PR PARA AS PROFUNDEZAS Do INFERNO(!!!!)

meirelesportuense disse...

Idalete:
Ele já nem consegue andar direito...Sinceramente está cada vez mais parecido com a Múmia Paralítica!...Não anda a direito, não pensa direito, não olha a direito, porque razão se inclina para a Direita?...Devia fazer como os sinos, uma para lá, outra para cá...Até me arrepia quando ele abre aquela bo-ca-ga-rra, parece-me o Jean-Bédel Bo-ka-ssa!...Maria, José, que medo!
Este Natal devemos oferecer-lhe um bacalhau de cura amarela. E depois em Março um saquinho de rebuçados Dr Bayard.