sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Memória (XX)


«(Da série recordar é viver). A capa do Expresso a uma semana das eleições. Para todos quantos, e são quase todos à direita, passam os dias a dizer que nunca se falou na campanha num possível acordo entre os partidos de esquerda, nem na possibilidade de um governo minoritário de direita ser chumbado. Nunca, jamais. Todos sabemos que essas questões nunca foram tema de campanha porque, como se lembram, a última semana foi passada a discutir a existência de unicórnios e a importância dos gambozinos para a economia do país. Andamos é todos esquecidos.»

Pedro Sales (facebook)

7 comentários:

Anónimo disse...

Obrigado pelo post. Afinal Costa não deu a tal cambalhota. Apenas posso dizer que foi ambíguo durante a campanha...

Dias disse...

Aí está mais um elemento claro como água. E vejam mais este:
http://observador.pt/2015/09/26/costa-acredita-que-fara-governo-mesmo-que-perca/

Penso que está tudo a perder a paciência com estes trauliteiros… Primeiro era a “Nossa Tradição”, depois foi “Um Acordo contranatura com a esquerda totalitária?”, mais tarde passou ao "Mas que acordo é esse que ninguém conhece?", por fim era “a esperança na quebra da disciplina partidária no PS”.
Agora é Passos Coelho a querer alterar a Constituição (!), no meio de difamações e acusações belicosas irresponsáveis (fraude, usurpação).

À medida que se vão enterrando mais, vão mostrando o seu cariz profundamente anti-democrático. Penso que ninguém gostaria de ter que obrigá-los ao respeito pela Constituição…

Jose disse...

É conhecido e notório que a coroa de glória do Costa - e pela qual se sente liberto da sua condição medíocre - foi ter feito acordos na CML, um universozinho a que o país é indiferente.
E afogado que estava a uma semana das eleições, não surpreende que tenha anunciado essa bóia para animar as hostes.
Daí a que fosse uma proposta política presente na campanha, vai a distância entre a seriedade e o oportunismo.

Mas tudo serve para justificar a canalhice política.

fernanda disse...

A direita de facto parece ter perdido toda a capacidade para responder com argumentos e desse modo escuda-se numa retórica na qual sempre navegou à `vontade; mas o que é grave é que hoje mais do que nunca é precisamente a retórica que dá dividendos porque as pessoas são bombardeadas com pseudo-informação em quantidades industriais e o que retém é o que fica no ouvido sobretudo se for repetido à saciedade (como o ministro da propaganda do regime hitleriano fazia de forma magistral). Perceber que tivemos eleições legislativas para escolher um parlamento do qual deveria emanar um governo parece um exercício de inteligência demasiado complexo para agradar a mentes que não são simplistas, longe de mim pensar tal coisa, mas a quem esse simplismo convém, trata-se mais uma vez de wishfull thinking.

Anónimo disse...


A direita existente ao gritar esganiçadamente por socorro do seu deus mercado, esta´a consagrar a sangria política e econômico, um não-desenvolvimento da nação, uma retraçao dos mercados interno e externo. Chegaram ao ponto de recusar a soberania e a justiça social como molas propulsoras do crescimento.
Não há mercados perfeitos. Todos o sabemos…mas mercadejar o Parlamento, os Partidos politicos e os –deputados pondo em leilao a propria Constituiçao da Republica como o fez Passos Coelho, e´ de mais...
Tambem não há golpes limpos em democracia, se o que se ve e se ouve e´ democracia…
Bem sabemos que a democracia foi antes vilmente esquecida, já foi…hoje trata-se de a por de pe´!
E´ hora de se manterem firmes nas opçoes já tomadas e a tomar…
Por que so serao dignos uma Patria, um Povo s sua Bandeira quando exercerem em pleno a liberdade conquistada. De Adelino Silva

meirelesportuense disse...

Um governo só é legitimado se fizer passar o seu Programa na AR...Esta chumbou o indigitado de Cavaco. Agora vamos ao senhor que se segue. Se passar tem toda a legitimidade, se for reprovado não. O resto é Aldrabice e Oportunismo.

Paulo Sousa disse...

José Bom afinal o homem falou mas..."Afogado que estava a uma semana das eleições não surpreende que tenha anunciado essa boia para animar as hostes". afinal quem está afogado em contradições. o argumento agoar é só anunciou na última semana. podia dizer falta de vergonha ou chamar isto tratar o pessoal de mentecaptomas ...já não há pachorra..