sábado, 28 de maio de 2011

Tempos

O sinistro Olin Rehn afirmou que o tempo da Grécia está a esgotar-se. Na realidade, é o tempo de muitos bancos europeus que pode estar esgotado. A democracia é incompatível com a lógica austeritária em vigor. Como diz o economista grego Yanis Varoufakis, co-autor de uma "modesta proposta" para resolver a crise do euro, a propósito de um plano europeu para gerir a pilhagem dos activos gregos a partir do exterior: "Este é o momento em que a alma democrática da Europa está a ser enterrada. Em Atenas, onde nasceu." A única forma de evitar o esgotamento da soberania democrática é declarar esgotado o tempo da economia da chantagem. É chegado o tempo da reestruturação.

4 comentários:

Exilado disse...

1) Que exagero chamar à reestruturação uma salvação da democracia.

2) Mais facilmente se matam liberdades do que se mudam coisas quem impliquem com os "powers that be".

Bilder disse...

http://senhoresdomundo.blogspot.com/2005_05_01_archive.html vejam a ediologia dos senhores nesse link,lembram-se do consenso de washington??

skeptikos disse...

The Greek "Ultimatum": Bailout (For The Bankers) And (Loss Of) Sovereignty

http://www.zerohedge.com/article/greeces-ultimatum-bailout-bankers-or-loss-sovereignty

Muito recomendável:

"Too Big to Fail" has become "Too Big to Analyze"
Pulitzer Prize-winning columnist at The New York Times, Gretchen Morgenson, and Josh Rosner, an analyst at Graham Fisher, warn of a possible new, yet more catastrophic economic collapse, because "too big to fail" has now become "too big to analyze" due to the concentration of assets in the hands of the banks. http://finance.yahoo.com/blogs/daily-ticker/risks-enormous-why-morgenson-rosner-worried-152700730.html

João Carlos Graça disse...

Acerca da forma como a Grécia foi apropriada selectivamente pelo imaginário "democrático moderno", há palavras magníficas escritas, entre outros, pelo Luciano Canfora, no seu A Democracia - História duma Ideologia, publicado entre nós pela Almedina.
Mistificações "ideológicas" e genealogias míticas à parte (o que é que "os gregos" de hoje terão ainda a ver com "os gregos" da Antiguidade?), o que deve ser dito ao Varoufakis, como forma de o trazer "back to planet Earth", é que a UEM é uma construção não-democrática (ler mesmo: anti-democrática) de raiz...