domingo, 1 de maio de 2011

1º de Maio

4 comentários:

GOD is writing in watermelons disse...

é o conservadorismo daqueles que não têm força de vontade para mudar de país, de inovar de se aventurar, que gritam: Gula de Lucro

Romper com a tradição

Uma tradição que prega os portugueses ao fundo durante 9 séculos
Quem se destaca ou é rei ou é um que tem manias
Olha aquele pensa que é rei

Dizer o quê né?

No 1º de Maio nos hospitais e em centos de outros serviços trabalha-se
Uma data de velhos dos 2 milhões que enchem o país levam as suas carcassas artríticas para as ruas
juntamente com uns centos de fósseis do sindicalismo, alguns há 37 anos nesse tacho.

Porque em muitos países europeus só aqueles que estão alto nas hierarquias sindicais, se dão ao luxo de deixar de trabalhar, ou fingir que trabalham.

Anónimo disse...

Vê-se logo o grande trabalhador que deve ser este GOD...(que raio de alcunha...)
É um cheiro a suor que até enjoia.!
Mas olhe que entre os velhinhos e velhinhas podia estar o seu paizinho e a sua mâezinha (coitados, que não devem ter feito mal a ninguém...) e mais alguém da sua familia, a lutar por si e por outros como vocé que não lutam para construir uma sociedade e uma vida melhor para todos mas que depois não enjeitam beneficios.
Continue assim que vai por bom caminho.
Não se esqueça é que quando for desta para melhor pode ter de prestar contas e depois nem o Gregório lhe vale.

one hundred trillion dollars disse...

Vê-se logo o grande trabalhador que deve ser este GOD...(que raio de alcunha...)


É um cheiro a suor que até enjoia.!
Mas olhe que entre os velhinhos e velhinhas podia estar o seu paizinho e a sua mâezinha (coitados, que não devem ter feito mal a ninguém...) e mais alguém da sua familia, a lutar por si e por outros como vocé que não lutam para construir uma sociedade e uma vida melhor para todos mas que depois não enjeitam beneficios.
Continue assim que vai por bom caminho.
Não se esqueça é que quando for desta para melhor pode ter de prestar contas e depois nem o Gregório lhe vale.

Anónimo disse...

um economista é sempre m activista. Este joáo Rodrigues é um beato do piorio. a esquerda está cheia de batos. depois dizem que há um moralismo sobre o endividamento. A moral e a religião da história estão aqui no seu pior.