quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Leituras


«Temos sido incapazes e incompetentes para influenciar positivamente as fontes da atual vaga migratória, das guerras na Síria, Iraque, Líbia, Somália e Afeganistão, às perseguições na Eritreia e Etiópia. Passámos de fervorosos intervencionistas humanitários nos anos 1990 para uns abstencionistas identitários sem vontade, coordenação ou humildade perante erros de missões recentes. Não precisamos de "exportar democracia" à lei da bala, mas de lutar contra a bolha em que nos enfiámos, contra a Europa fortaleza e moralista que vê tudo arder à sua volta mas que só acorda quando o drama chega ao seu quintal. (...) Preferimos muros e arame farpado (...). Preferimos gastar milhões a patrulhar roteiros de quem foge à morte, a partilhar entre Estados membros uma integração excecional, chamando-lhes "praga", atiçando os cães e engrossando o arame.»

Bernardo Pires de Lima, Batemos no fundo

«O discurso do aumento da natalidade tem uma componente racista. A Europa quer que nasçam nos seus países crianças europeias. É a explicação simples de todos os políticos europeus discutirem obsessivamente o problema da natalidade e “as políticas de natalidade” – nomeadamente quando falam do futuro da segurança social – e nunca encararem o problema que resolveria a questão da natalidade e do futuro da segurança social: dar refúgio aos milhares de crianças que todos os dias procuram a Europa em busca de uma vida melhor, e, naturalmente, aos seus pais. (...) Perante uma tragédia humanitária como a que se vive à sua porta, a Europa constrói muros, ergue vedações, manda as tropas vigiarem e, regra geral, mostra muito pouca empatia ou compaixão com as vidas que se perdem pelo caminho.»

Ana Sá Lopes, Os muros da vergonha europeia e ocidental

«Se a crise grega já não o tivesse provado, tal como as aventuras bélicas de franceses e ingleses na Líbia e na Síria (que destruíram regimes que eram um tampão para a Europa), toda esta vergonhosa situação mostra a falência do projecto da União Europeia, hoje apenas amarrado por regras financeiras. A Europa do Iluminismo apagou as luzes e esconde-se com vergonha. A Europa já não é uma fortaleza voadora nem uma fortaleza democrática. É um B52 sem destino. Não há uma política conjunta europeia para este problema. Há só um "salve-se quem puder!". A Europa abdicou de ser a Europa que desejaríamos.»

Fernando Sobral, A Grande Muralha da Europa

28 comentários:

José M. Sousa disse...

Infelizmente, receio que o problema se agravará acentuadamente.

José (Junior) disse...

«O discurso do aumento da natalidade tem uma componente racista. A Europa quer que nasçam nos seus países crianças europeias. É a explicação simples de todos os políticos europeus discutirem obsessivamente o problema da natalidade e “as políticas de natalidade”
Ana Sá Lopes

Eu diria que se a população etnicamente portuguesa for amanhã substituída por...sei lá...10 milhões de indios Comanches, Portugal terá deixado de existir e terá passado a ser parte integrante da nação Comanche. A esquerda, não podendo negar esta evidencia, está hoje reduzida, no que diz respeito à discussão destas matérias, a tiradas pretensamente moralistas e a berrar furiosamente, em todas as direções: RACISTA! RACISTA! XENÓFOBO! XENÓFOBO!

Antonio Cristovao disse...

Ele vai haver política e solução, tarde mas vai. Fico contente de ver, que mais gente pensa que já se dia ter deslocado as verbas da remediação,para a de prevenção; e logo na origem!!

Bilder disse...

Mas que grande "pecado" esse não é!? A Europa(qual Europa é preciso perguntar primeiro)quer mais natalidade de europeus,grande surpresa.Como se a China(por exemplo,já que é o mais populoso país e tem mais "gente" que a Europa ocidental)não vá querer mais chineses.É por essas(e por outras)que a "malta" das esquerdas(mais ou menos ortodoxas)fica sempre a "palrar" na oposição,pois demonstram bem assim o seu "patriotismo de esquerda" e "nacionalismo-internacionalista",agora já sabemos o que significa essas frases,patriotismo sim mas com mais africanos e asiáticos.

José (Junior) disse...

Convem salientar que nesta matéria da imigração o discurso da esquerda está totalmente alinhado com o discurso da Goldman Sachs. Eis o que tem a dizer sobre isto Peter Sutherland,durante anos homem forte da Goldman Sachs, atualmente em comissão de serviço na ONU:

http://www.telegraph.co.uk/news/uknews/immigration/11773836/Britain-xenophobic-to-demand-economic-migrants-kept-out-says-UN.html

O ex homem forte da Goldman Sachs na Europa grita RACISMO! XENOFOBIA! em todas as direções, tal como a esquerda. Podia ser comentador oficial do Ladrões de Bicicletas sobre estes temas, pois o discurso é exatamente o mesmo.

http://www.irishtimes.com/business/financial-services/peter-sutherland-to-retire-as-goldman-sachs-chairman-1.2219623


Anónimo disse...

Preferiria dizer Europeus, especialmente dirigentes: - chefes de estado, primeiros-ministros, deputados e dirigentes partidários políticos. Europa só por si e´ um vazio…
Acusa-se a EUROPA de todo o mal: agora e´ a emigração, quando se sabe que e´ o “capitalismo de todas as marcas e formas” com as suas guerras devastadoras a empurrar seres humanos para os pastos convencionados, neste caso a Velha Europa, como de gado se tratasse!
“NOS TEMPOS ILUMINISTAS GRASSAVA A FOME NAS ALDEIAS”
Repare-se – já atravessam o Canal da Mancha – Não e´ uma emigração qualquer – não são os Alanos do Cáucaso, nem os Suevos da Germania Anterior a‘ procura das verdes planícies, não, esta emigração e´ guiada ou teleguiada como quiserem.
Quanto a mim, A INTELIGENCIA EUROPEIA – A Razão de ser da Europa, esta´ a ser posta a´ prova perante o Imperio NATO, e e´ necessário por cobro, antes que o caos humano se implante. De Adelino Silva




Anónimo disse...

Jose (junior!) não está bom da cabeça. Ou isso e algo mais

No seu esforço para fazer passar sabe-se lá o quê, o desvairado faz coincidir a posição da goldman-sachs com o discurso da "esquerda"

Logo aqui começamos a desconfiar que este tipo é um charlatão. Isso de discurso de "esquerda" tem muito que se lhe diga.

A coisa confirma~se com aquele rançoso e odiento comentário sobre o ladrões.

E esclarece-se totalmente que estamos mesmo na presença dum aldrabão de feira (aos berros) quando se vê que afinal não é a goldman-sachs que tem qualquer posição sobre o tema, mas um seu homem forte, agora am comissão de serviço na ONU (cito)

O racismo e a xenofobia têm destas coisas. Aldrabam e mentem desta forma rançosa. Talvez para se auto-justificarem das pulhices que defendem. Agora aldrabices deste género de berrões como que ébrios a fazerem palhaçadas para ver se passa, não.

Há mais. Fica para depois.

De

Jaime Santos disse...

Portugal pode, e moralmente deve, aceitar mais refugiados (basta pensar em todos os que se refugiaram no estrangeiro no tempo da Ditadura). E pode e deve, até do ponto de vista da racionalidade económica, aceitar mais imigrantes. São eles que aceitam empregos que a população autóctone deixou de aceitar (sendo muitas vezes vergonhosamente explorados pela ínclita etnicidade lusa) e são os seus filhos que aprenderão o Português e que serão os nossos concidadãos de amanhã, ajudando a pagar as nossas reformas. Quanto às tiradas relativas a uma suposta invasão do território por imigrantes, eu proponho ao autor dessa atoarda a seguinte experiência de pensamento: vamos deixar que os governantes de todos os Países onde existe Diáspora Portuguesa utilizem exactamente a lógica deste senhor (a começar por exemplo pelos do Luxemburgo) e amanhã teremos umas quantas centenas de milhar de pessoas à nossa porta, sem emprego e sem casa. Está preparado para acolher esses nossos concidadãos, 'etnicamente portugueses', como diz, em sua casa gratuitamente, para pagar mais impostos que lhes permitam receber subsídios de desemprego, e por aí a fora?

Jose disse...

O que levará tanto palerma a falar em vagas migratórias como se não houvesse violência que a originasse?
O que levará tanto cretino a pensar em influenciar positivamente as fontes da atual vaga migratória,, como se isso fosse a arma que controla ou faz cessar a violência?
Seguramente os que não se atrevem a abandonar a ‘Agenda dos Coitadinhos’ e recusam os riscos associados à única influência positiva que podem sofrer facínoras que controlam boa parte do mundo - a de levarem um tiro nos cornos

Jose disse...

Outra versão da 'Agenda dos Coitadinhos' é pelo menos mais lógica:
Já que não temos vontade de ser, nem a força para defender, vinde miseráveis de outras raças e de outros credos, vinde construir um futuro que será o nosso.

Jose disse...

A Europa do Iluminismo via-se como Luz.

A Europa padeceu mais de um século de propaganda que a define como pecaminosa colonizadora e exploradora de meio mundo e arredores.
Aponta-se-lhe como destino deixar de ser o que quer que seja para ser o que não se sabe o que será.

Instruidíssimos treteiros profiam em competir para lhe traçar destino nenhum, e onde houver uma vontade tratar de colocar uma dúvida.

José (Junior) disse...

5 de agosto de 2015 às 18:31

Com um discurso destes o comentador das 18:31 não engana. É garantidamente um homem que "sente e vive os mais altos valores da esquerda!"...da esquerda caviar, acrescentaria eu.

Ó caviarista das 18:31, lê lá isto.

http://www.atlantico.fr/decryptage/quand-pc-disait-presque-meme-chose-que-marine-pen-benoit-rayski-1589110.html

https://www.youtube.com/watch?v=8zD36oJCtH0

Quem hoje em dia em França se aproxima mais do discurso em matéria de imigração da velha esquerda, a esquerda do PCF de George Marchais, é a Marine Le Pen. Vê o video no link e escandiliza-te profundamente com o racismo e a xenofobia do velho dirigente comunista francês (tu e todos os bloquistas e livralheiros que andam por aqui).

Quem os viu e quem os vê!
http://www.causeur.fr/bulldozer-de-vitry-et-si-le-pcf-avait-raison-19545.html#

Anónimo disse...

Sobre a europa:

"Aponta-se-lhe como destino deixar de ser o que quer que seja para ser o que não se sabe o que será".

"um século de propaganda que a define como pecaminosa colonizadora e exploradora de meio mundo e arredores".

"Profiam em competir para lhe traçar destino nenhum, e onde houver uma vontade tratar de colocar uma dúvida".


Eis o resultado assombroso (e motivo de franco e farto gozo) do "pensamento" de quem "profia" para competir com a nata morta e putrefacta dos tempos de antanho.

(Não, não é o ridículo que mata nem sequer a ausência completa da noção do que se diz e da forma como se diz).

Provavelmente resultante das leituras de quem assim declama estas calinadas e que há dias confessava:
"Acho que vou ter que ler um ou outro dos 'Discursos de Salazar'

É de coisas como esta que depois saem os maçães, os lombas, os relvas e os poiares que adornam a desgovernança do país. Estes são os seus credos e os seus breviários.

Uma tristeza completa. Que âs vezes dá direito a uma boa gargalhada

De

Anónimo disse...

Estou a cogitar sobre o problema da natalidade humana na Europa..! Fala-se deste assunto como se estivesse formando um cataclismo, uma coisa irreversível e no entanto a receita para esse “mal” esta ai a´ mão de semear.
Nestes últimos 40 anos muito se tem Falado de economia. Finanças e as vezes de ecologia, assim a modos abstrata. Vamos de eleição em eleição dizendo mal do partido B, C, D e W.
Escrevem sobre o amor platónico e do amor a´ primeira vista. Por outro lado falam dos pecados originais que ate metem medo.
Falar da procriação e dar condições para que ela se faça nada..!
Activa-se no registo civil o acasalamento entre seres do mesmo sexo… Abençoa-se a anti procriação como se o amor nada tivesse a ver com a procriação… alias, a preservação da humanidade deve ser considerado o maior amor do mundo! Sou pai, avo e trisavou! Não pensei na economia, nas finanças e muito menos da religião. Tive de meter um requerimento ao ministro da marinha para me casar! De Adelino Silva




Anónimo disse...

Mas se a parte de ópera bufa foi abordada, não pode deixar de passar sem reparo a verdadeira parte sinistra deste comentário:
Seguramente os que não se atrevem a abandonar a ‘Agenda dos Coitadinhos’ e recusam os riscos associados à única influência positiva que podem sofrer facínoras que controlam boa parte do mundo - a de levarem um tiro nos cornos"


"Tiro nos cornos" sempre foi uma linguagem patibular, usada e abusada pelos torcionários. Quando um nazi apontava a sua mauser à cabeça dum desgraçado , provavelmente qualificava como "facínora" o executado momentos antes do tiro fatal.

A assumpção dos "riscos" com as características acima indicadas é sinal claro duma cumplicidade abjecta com os crimes cometidos pelos ianques, pela OTAN e pelos seus aliados em busca do petróleo e em busca do produto do saque, As consequências estão à vista de todos. Também nestes fluxos migratórios, para os quais os bombardeamentos indiscriminados deram o seu grande contributo. Tambem pelo sangue das milhares de vítimas promovidas pela "libertação" made in USA


"A partir do derrube da Líbia e do assassinato de seu líder, o Coronel Mohamed Khadafi em 2011, no marco da tão elogiada Primavera Árabe, como reiteramos uma infinidade de vezes, a Líbia, a nação progressista da África, passou a se converter em um Estado Falido, sem governos reais, sem instituições e sem possibilidades para sair dessa situação.

É difícil que uma nação das características da Líbia pudesse suportar a hostilidade a qual foi submetida desde dezanove de Março de 2011, quando teve início o bombardeio aeronaval que continuou durante os sete meses seguintes. Os Estados Unidos e a OTAN realizaram mais de dez mil missões de ataque, utilizando mais de quarenta mil bombas e mísseis, fundamentalmente contra alvos civis. Soma-se à ofensiva aérea os milhares de mercenários, com selo da Al-Qaeda, recrutados e pagos pela Arábia Saudita e o então chefe de sua inteligência, o príncipe Bandar al-Sultán, vinte e cinco anos embaixador de seu país em Washington.

A Líbia, para as potências ocidentais, particularmente para os Estados Unidos e a França, responsáveis fundamentais pela queda do governo líbio e pela actual situação, se converteu em uma jazida de petróleo, a qual tentam esgotar antes que a situação se converta verdadeiramente incontrolável. O país conta com as reservas de petróleo mais importantes da África e são particularmente valiosas por sua qualidade e o baixo custo de extracção, assim como o gás.

No momento em que se iniciaram os ataques contra o Estado líbio, este contava com uns duzentos bilhões de dólares depositados fundamentalmente em bancos estadunidenses e britânicos, que após serem confiscados por esses governos, se evaporaram em labirintos burocráticos e sem dúvida ajudaram muito a suportar a profunda crise económica que tanto os Estados Unidos e a Europa estão vivendo desde 2007.

A nova Líbia fragmentada pela ausência de um governo, conta com dois: um que possui base na cidade de Trípoli, vinculado à Irmandade Muçulmana, e o de Tobruk, ligado à visão ocidental, “moderado”. Trípoli tem o apoio da Turquia e Qatar, o outro do Cairo, cuja força aérea atacou as colunas de milicianos salafistas que tentaram aproximar-se de Tobruk.

No resto do país, organizações de contrabandistas, narcotraficantes, traficantes de armas (dos arsenais do coronal Khadafi sai uma infinidade de armamento para terroristas e grupos de criminosos de toda África, especialmente Mali e Nigéria) e de pessoas, negoceia com as tribos que desde sempre foram as donas desses territórios para poder refugiar-se e utilizar alguns corredores por onde transitar com sua mercadoria "

A primavera árabe afoga-se no Mediterráneo Guadi Calvo

Eis alguns aspectos da "influência positiva" para os torcionários de todos os matizes

De



Anónimo disse...

Tenho uma má notícia para o jose ( junior ,não é?)

As convicções pelas quais o jose (junior) pensa que eu me pauto não me interessam para nada. Cada um toma as pedantices e as tontices que quiser. Assume-se os demais de acordo com a própria percepção da realidadade. Quando a realidade se afasta demasiado da referida percepção temos um problema. Para uns tontos o problema é a realidade. Regra geral o problema é mesmo de quem percepciona de modo tão desfocado a realidade.

Será que dá para até o junior perceber?

Pelo que o caviar e as nacos de prosa que impinge devem interessar sobretudo ao próprio, interessado em vender o seu produto desta forma malcheirosa e tola...

Voltemos então ao cerne da questão ?
"No seu esforço para fazer passar sabe-se lá o quê, o desvairado faz coincidir a posição da goldman-sachs com o discurso da "esquerda"
Logo aqui começamos a desconfiar que este tipo é um charlatão. Isso de discurso de "esquerda" tem muito que se lhe diga.
A coisa confirma~se com aquele rançoso e odiento comentário sobre o ladrões.
E esclarece-se totalmente que estamos mesmo na presença dum aldrabão de feira (aos berros) quando se vê que afinal não é a goldman-sachs que tem qualquer posição sobre o tema, mas um seu homem forte, agora em comissão de serviço na ONU (cito).

Sobre "isto" assiste-se a quê? A um processo de fuga desordenada e pusilânime que nada diz sobre o apontado , que abandona a goldman-sachs (pudera, não tem outro remédio) e que parte para uma nova "expedição".

Coitado do jose (junior,creio).Em vez de assumir que só disse disparates enche o peito de ar, pinta o seu "quadro", o quadro que convém aos seus desvarios mentais e arranca para uma nova "pescaria". Outra má novidade é esta. Os aldrabões de feira precisam depois de credibilidade. E têm que fazer um esforço maior do que os outros para a adquirirem.

Será que dá para até o jose ( junior, acho) perceber ou quer ir pedir uma ajuda ao falecido Marchais e à vivíssima Marie le pen?

(estes tipos não se enxergam e esquecem-se que é necessário um mínimo de coerência. Exasperado ,irritado , atafobado invoca os seus santinhos contra os "livralheiros que andam por aqui". Um pouco antes tinha invectivado naquele seu jeito à jose ( junior pois claro) a ler-se algo. Precisamente o que o indivíduo em causa queria que lêssemos.
Ou seja. Ler sim, mas apenas o que o charlatão quer.

Era mesmo o que mais faltava aturar peralvilhos destes

De

Jose disse...

«a Líbia, a nação progressista da África» Granda Kadhafi! Um torcionário, corrupto palhaço de robe e a mamar em cabras, desde que patrocine actos de terrorismo anti-USA é progresso...

Sendo a Líbia um Estado falhado - importa poucco como lá chegou - a permitir o lançamento de vagas de naufragos destinados a 'povoar' a Europa era lá que haveria de haver tropas europeias para entre outros efeitos menos histriónicos, provocassem ataques histéricos aos serventuários da 'Agenda dos Coitadinhos'.

Anónimo disse...

(Hum...
basta dar a deixa apropriada e aparece aquele que estremunhado repousava no sofá longínquo... é sempre assim, lol.
Mas deixemos estes entrementes que não interessam nada para o essencial)

E o essencial está aqui espraiado.
O olhar de colonialista ressabiado tem destes olhares. Tem contudo uma desvantagem enorme. Sabemos hoje das alianças espúrias de Kadafi com os amigos ocidentais, prezados tanto pelo jose ou jgmenos. Mas nada justifica os crimes cometidos contra o dirigente líbio e o seu povo. Se dar e cito "um tiro nos cornos" é a prática objectiva por gente da laia do jose, sabe-se desde o julgamento de nuremberga que tal "tarefa" tem que um dia ser levada a julgamento. É só uma questão de tempo,tal como alguns verdugos nazis o souberam

Mas dizia eu que a desvantagem enorme é que a propaganda boçal ( repetida histericamente pelo jose) sobre o viagra, tomado pelas hostes inumanas de kadafi, se converteu hoje, no linguarejar daquele, em "corrupto palhaço ". A dúvida é legitima.Quererá jose dar um "tiro nos cornos" de quase toda a governança em curso mais o seu ídolo cavaco? Não parece possível. Não se acredita também que a sentença do "tiro nos cornos" seja devida ao uso de robe e no mamar em cabras. Há quem ande de gravata e "mame" em coisas piores que cabras e não se veja tal balázio. Resta assim que seja pelo alto patrocínio de actos de terrorismo anti-usa. Tal nunca foi invocado para os milhares de bombardeamentos sobre a Líbia. Esta é nova como argmentário e traduz mais desespero que a sombra de qualquer realidade

Temos assim a agenda dos coitadinhos do jose a mostrar-se condoído pelos usa e pelos actos dirigidos contra ela pela pérfida Líbia. Um choradinho incrível este, destinado a esconder as mãos sujas de sangue e de petróleo. Mas mais uma vez , jose está com azar. Porque a seguir a tal choradinho vem outro choradinho interessante, sobre o estado falhado da líbia, em que "ingenuamente " confessa o seu "importa pouco como lá chegou"

Isso queria mesmo o jose . Quando este elogiava a "organização germânica" também mostrava igual desprezo pelo facto de tal organização poder parir um hitler ou um julgamento de corruptores do partido de portas.

Mas mais uma vez tal não passa. A gravidade destas afirmações confirma apenas a tese que por detrás do neoliberalismo (ou seja,o capitalismo contemporâneo, caracterizado pela hegemonia do capital financeiro) está a face mais sombria da direita-extrema

As tropas que convoca fazem lembrar os berros assaz piegas de salazar mais o seu "para angola rapidamente e em força" que deu os resultados que deu.

Uma sugestão porém: Pode ser que jose queira contribuir para as referidas tropas e assumir a sua redenção pela sua atitude ...dúbia a 25 de abril.Tem é que ser bem industriado para o local para onde atira, porque a decadência das coisas às vezes prega partidas

De

Anónimo disse...

os dois Joses aí estão ao serviço da canalha do costume
oartilham o nome e tudo o senior, o junior, ambos forjados na mesma latrina e por ventura pagos pelo mesmo piassaba
não conseguem esconder o seu rosto canino quando chega a hora da verdade e das questões ditas de ruptura
vêm sempre à baila os "miseráveis", as raças, o puro sangue, a defesa de qualquer coisinha algures entre o estômago e o cu pois coitados, mais orgãos não têm nem se poderia pedir tanto de seres unicelulares
Joses, juntem-se, façam amor e criem a vossa raça pura e ponham fossos e arame farpado no vosso quintal
ninguém levará a mal que no aconchego do vosso quentinho lar ambos partilhem o lamber do cu embalsamado do grande ho-men Salazar
Sit, Jose, Sit
good sabujo

Anónimo disse...

O Jose ladra, ladra
fala de tiros nos cornos
mas quando chega a hora é daqueles que fica na caserna a tremer de medo
chegado o dia 25 de Abril
não teve nem tomates para investir em algo novo nem para defender os valores salazarentos que tanto preza
não passa dum situacionista, um bufo, um sabujo cagão e ignorante que para lá de perdigotos nunca consgue defender com coerência e factualidade as suas posições
não existem herois mas o Jose
em boa verdade é aquilo que se designa comumente por um cobarde endémico
não serve para mentor, não serve para líder, não serve para ideólogo, não serve para soldado...um merdas

Anónimo disse...

http://omarxismocultural.blogspot.pt/2015/07/a-teoria-do-colapso-cultural-os-7.html os sete passos do colapso cultural europeu.Tudo o resto é meter a cabeça na areia.---Jorge

Jose disse...

O enxame agita-se e zumbe com crescente agressividade.
Caminham confiantes no volume do ruído para o fim dos argumentos, julgam-se já vencedores...surpresa!

Anónimo disse...

Jorge,Vá dar banho ao cão. Nesse canto de extrema-direita com tiques de igreja fundamentalista americana podem ler-se estas pérolas:
O Mal:Eliminação dos papéis sexuais tradicionais através do feminismo, igualdade de género, do politicamente correcto, do marxismo cultural e do socialismo
O Mal:criminalização do normal comportamento masculino através da redefinição de algumas instâncias de atividade sexual consensual como violação
O Mal: as mulheres...sem aprender as tradicionais habilidades domésticas
O Mal:o orgulho nacionalista como sendo um fenómeno de extrema-direita e os políticos nacionalistas serão comparados a Hitler
O Bem:fomentar uma sociedade patriarcal onde os homens são provedores fortes. Se for encorajado o desenvolvimento de homens bem sucedidos que possuem habilidades indispensáveis, e desde logo recursos que as mulheres não têm,sempre irão existir mulheres abaixo da sua posição que querem casar e procriar com eles
O Bem: Tem sempre que existir um fosso entre os sexos, a favor dos homens

Costanza Miriano: Temos que nos submeter a ele ( marido). Se tiveres que escolher entre o que tu gostas e o que ele gosta,escolhe em favor dele...quando o teu marido te disser algo, ouve-o com atenção como se fosse Deus a falar contigo

Isso aí é um pasquim!

Anónimo disse...

Até há pouco tempo este blog estava (não sei porquê) mais ou menos imune aos comentadeiros pagos pelo PSD/PP - com excepção, claro, do maluquinho de serviço que era o Zé -, mas parece que isso acabou. Devem-lhes ter dado instruções para vir cuspir e vomitar para estas bandas. Sendo assim, num comentário ao melhor nível do que eles produzem, aqui vai: vão para a pata que vos pôs.

Ricardo disse...

E enquanto boa parte do povinho se deixar alienar indo na conversa de ideológos com alternativas usadas e derrotadas(até 1989 andaram milhões de pessoas iludidas com o comunismo ortodoxo)os mestres do capitalismo financeiro global estão descansados e a rirem-se,pois eles sabem que essa dialética hegeliana de esquerda-direita lhes dá sempre vantagem já que não permite que uma alternativa real e eficiente tenha sucesso .( a sociedade está tomada na economia pelo neoliberalismo e pelo capital-financeiro representado em bilderberg e afins,a está tomada no social-cultural pelo marxismo nas sua várias formas,ambos são nefastos e absurdos,o resultado está à vista)

Anónimo disse...

Os governos Europeus da UE especialmente os da Zona Euro com a sua Eurocracia de Bruxelas estão a proceder à destabilização total da zona do mediterrâneo.A crise económica que levou a uma recessão generalizada. a decadência, está aconduzir a práticas de política imperialista.

Anónimo disse...

"Tomada no social-cultural pelo marxismo"

Esta é uma frase assassina que liquida qualquer contra-argumentação. Porque se destrói a ela própria e torna inútil qualquer contraditório.E contamina o resto do palavreado pelo insustentável do disparate

Pelo que o Ricardo deve ir agora tomar um cocktail ai com uma Hola ao lado , com um readers digest em cima da mesa da esplanada e depois comer um Mac antes de partir para o último filme do Homem-américa a comer um saudável saco de pipocas.À noite pode ir debater no sofá enquanto prepara o caderno para a alternativa ao social marxismo que vivemos

Não há de facto pachorra para quem trata assim o "povinho" e a inteligência dos demais

De

D

Anónimo disse...

Os excertos apresentados como introdução à discussão que ora se faz espelham bem a confusão que reina numa certa esquerda dita "moderada". Reivindicar a tradição do Iluminismo e do incensado Liberalismo ocidentais como a matriz humanista vilmente abandonada pelos actuais poderes da UE só me provoca o riso. Vejamos.
Esse Iluminismo e esse Liberalismo não conviveram muitíssimo bem com, por exemplo, o tráfico de escravos? Não?! Pois estarei, então, enganado ao sinceramente acreditar que o bom do Locke estava muitíssimo familiarizado com a sigla RAC (Royal African Company) que os ferros em brasa dos negreiros ingleses marcavam nos corpos dos negros traficados por essa companhia empresarial da qual ele era um orgulhoso accionista. Esse Liberalismo de parto anglo-saxónico não balizou ele todo o vergonhoso período do egrégio Império Britânico (e não só...) dando a justificação ideológica e económica a coisas que foram desde o tráfico de ópio que marcou o início do "Século da Vergonha" chinês até aos campos de concentração da Malásia e do Quénia? Não foram as liberais democracias europeias que abandonaram a Democracia Republicana Espanhola à barbárie dos assassinos de Franco e seus aliados, e não foram elas que contemporizaram com a besta nazi no Acordo de Munique e no fechar de olhos ao massacre fascista da Etiópia? Estarei enganado?
Não entende uma certa esquerda algo que é condição basilar à tentativa de qualquer compreensão do que agora se passa: as tais "intervenções humanitárias" tão saudosamente lembradas não passaram de guerras de agressão assassina baseadas em mentiras. Assim foi na Bósnia: Alia Itzbegovic e os seus aliados croatas romperam as conversações de Lisboa (por imposição dos EUA/NATO), para assinarem, milhares de mortos depois, os Acordos de Dayton, os quais pouco acrescentavam às propostas apresentadas na capital lusa. Assim foi no Kosovo: a limpeza étnica sérvia nunca existiu, mas à efectiva posterior limpeza étnica albanesa de 250.000 sérvios, ciganos e outras minorias a KFOR fechou prudentemente os olhos. Assim foi na Líbia: uma vez assassinado kadafi e milhares de líbios, uma vez completamente destruído o país, as provas do massacre alegadamente perpretado por aquele sobre o seu povo desvaneceram-se em puro éter.Assim é na Síria: enquanto UE/EUA=NATO armavam bandos de "freedom fighters", faziam orelhas moucas a quem os avisava (a Federação Russa) acerca do facto de estarem a treinar, financiar e armar bandos de assassinos fundamentalistas. Vê-se, agora, quem teve razão.
Uma certa esquerda tem que, definitivamente, compreender uma coisa: a reluzente fatiota da "intervenção humanitária" não passa de uma novíssima forma de tapar um hediondo e pútrido cadáver que voltou do túmulo - o cadáver, armado até aos dentes, do Imperialismo. E uma outra coisa terá que compreender: reclamar novas "intervenções humanitárias" para remendar antigas "intervenções humanitárias" corresponde a validar estas últimas como actos de humanitarismo, quando, na realidade, foram (e são) actos de barbárie imperialista. Há que deixar ao umbiguismo eurocêntrista o lugar que a História lhe reservará - o caixote do lixo - e exigir aos psicopatas que governam a UE as contas que têm a prestar por pretéritos e actuais crimes sobre povos que nenhum mal lhes fizeram.