quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Baixos salários

Um Governo devia saber: dar subsídios às empresas para pagar o aumento do salário mínimo é incentivar o alastramento da pandemia de salários mínimos, de baixos salários.

11 comentários:

Anónimo disse...

Uma das razões do chumbo do orçamento pelas esquerdas foi a não revogação das leis laborais e os baixos salários,agora o PS vem apelar ao voto útil para ter o caminho livre para tomar as politicas impostas por Bruxelas.

Anónimo disse...

O estado paga o lucro das empresas, é mais do mesmo, os custos são socializados e os lucros são privatizados é este o modelo social da actualidade, e no que diz respeito ao salário mínimo ainda é mais perverso, o estado premeia as empresas por pagarem o ordenado mínimo, ordenado este que é abaixo do mínimo da existência saudável mas parece que não é bom para a economia os salários que permitem vidas com direitos. Qualquer cidadão minimamente decente devia pensar no que realmente significa esta máxima.

Anónimo disse...

os novos contratos com salário mínimo não poderão ter direito a esse subsídio. caso contrário é uma aberração completa.

Anónimo disse...

Se é para subsidiar o subemprego, mais valerá subsidiar o subempregado, directamente!
Dar ao patrão para este "empochar" a comissão e entregar o remanescente ao trabalhador e, ainda assim, chamar-lhe aumento do salário mínimo, é descaramento! Querem transformar todos os patrões do país em empresas de trabalho temporário ...

Anónimo disse...

Depois do IVAucher e do AutoVoucher a solução é um SMNVaucher para compensar as empresas pelo aumento do SMN. A partir de aqui a solução para qualquer problema são ... Vauchers!

Carlos Antunes disse...

JRA
Curioso como a solução que contesta “dar subsídios às empresas para pagar o aumento do salário mínimo” foi defendida neste mesmo blog por Ricardo Pais Mamede em post de 9 de Novembro p.p, intitulado “António Costa não convence” e ao qual repliquei com esta pergunta (de que nunca obtive resposta):
Carlos Antunes disse...
Ricardo Pais Mamede
Com toda a consideração e respeito que nutro por si, não percebo uma das soluções que preconiza para o aumento do SMN tal como proposto pelo PCP «compensar essas subidas de salários com medidas fiscais, por exemplo?»
Significa que defende que seriam os impostos de todos os portugueses a viabilizar o aumento do SNM que é um encargo das empresas?

CBeato disse...

Afinal quem está a pagar os salários?

Francisco disse...

É tudo bem mais simples e óbvio do que, por vezes, a propositada e exacerbada tecnicidade de certas discussões, quer fazer parecer. Estamos perante um Estado (o Estado capitalista, neste momento com o P"S" ao leme), que se encontra de joelhos perante o capital e que, de resto, existe para o servir (afinal o N. Poulantzas parece que tinha mesmo razão, como de resto, muito antes dele, aquele barbudo alemão que incomoda tanta gente). Por outro lado, temos a transferência de recursos dos de baixo para os de cima como regra fundamental para tentar contrariar a tendência decrescente da taxa de lucro do capital. Até quando? Essa a pergunta a que já nenhum de nós consegue escapar, por mais que tente assobiar para o lado.

TINA's Nemesis disse...

Mitos e lendas do Capitalismo: "Os capitalistas não gostam do Estado".

Se é verdade que não há Capitalismo sem Estado, também é verdade desde 2008 esta dependência do Capitalismo pelo Estado se tornou evidente até para alguém que não presta atenção ao mundo que o/a rodeia.

É extraordinário a resiliência do status quo neoliberal, apesar das evidências das aldrabices, da destruição que provocou Neoliberalismo ainda não nos abandonou.
Certos partidos e a comunicação social estão atolados por neoliberais que sem qualquer vergonha continuam a repetir o mantra.
Claro que os neoliberais são a favor do Estado subsidiar o salário mínimo, e não vai levar muito tempo para que comecem a defender intensamente outro subsídio à classe capitalista, refiro-me ao rendimento básico universal.

O patronato odeia o Estado!

Anónimo disse...

Caro Carlos Antunes, o Ricardo Paes Mamede veste com orgulho a facção da direita da dita "esquerda radical" ele é a ponte entre o socialismo que conhecemos e a esquerda propriamente dita não devia esperar dele abordagens radicais como não subsidiar empresas, etc, etc...É tudo uma questão de expectativas.

Monteiro disse...

Hoje, 2/12/2021, o Primeiro-Ministro aumentou o salário Mínimo para 4,07€/Hora. De realçar que este valor já vem prometido de 2015. A Alemanha o salário Mínimo foi aumentado para €12,5 Hora.