sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Europa e soberania

"[a última vez que Portugal teve estratégia foi] Quando entrou na Europa. Foi uma estratégia, a muitos títulos, errada, viemos a perceber mais tarde. Mas havia um pensamento claro de afirmar Portugal como um país europeu. Hoje, a nossa estratégia tem que ser rever essa posição."

"Temos andado muitas décadas afastados de uma vocação, de um lugar. O nosso pensamento estratégico pode ser esse. E, para afirmar esse pensamento estratégico, temos que reforçar uma componente da nossa soberania."

"Não podemos estar submetidos a lógicas em que não temos a capacidade de decidir sobre as nossas vidas. A soberania e o bem comum são elementos centrais para uma estratégia para Portugal."

António  Sampaio da Nóvoa, em entrevista ao Jornal de Negócios

12 comentários:

Anónimo disse...

Por falar em Europa e soberania, para quando um artigo sobre o Transatlantic Trade and Investment Partnership, o Tratado entre EUA e UE, nomeadamente sobre a tal cláusula de protecção de investimento?

O que se está a passar é muito grave...

Anónimo disse...

Em concreto o que é que o Nóvoa quer dizer? Sair do euro e retomar instrumentos monetários, financeiros, cambiais e orçamentais para sermos mais "capazes de decidir sobre as nossas vidas"? Se sim, porque não fala claramente? É que senão não passa de generalidades, quase banalidades, o tipo de palha que o Costa vai servindo à burricada que quer levar a votar PS. Falemos concretamente, claramente e haverá largo campo para nos entendermos, todos os que aspiramos a uma verdadeira alternativa à política de direita, à política neoliberal, à política da troika, trazida pelo PS, PSD e CDS.

Manuel Silva disse...

Cá está o tal DE, a coberto do Anonimato, a fazer a propaganda do seu partido.
É preciso ser persistente, mesmo vendo que a coisa não pega: coitado.
Vá ver quantos votos teve o seu partido em 1975, que percentagem teve, quantos votos tem hoje, que percentagem tem. Ao fim de 40 anos de luta em prol do povo o povo é tão ingrato?
E nas câmaras municipais já teve 52, hoje tem 34: bravo.
É o povo que está errado, obviamente: mude-se o povo.

Anónimo disse...

E o Manuel Silva faz a propaganda de que partido?
Estes socialistas mal vêem alguma coisa contraditória aos interesses do partido que adoram ficam logo como os fariseus!

Anónimo disse...

O alegado Manuel Silva tem uma obessão com o "De". Não lhe dá é com o estilo. Para hermeneuta falta-lhe um grande bocadinho - ou não fosse xuxa.

Manuel Silva disse...

Às 11:21 falou Vermelho e às 11:24 falou o Verde, afinal, o mesmo, pois os dois são apenas um.
Tal como na Assembleia da República.
A velha técnica de repetir a mensagem duplicando o porta-voz.

Anónimo disse...

Abro o Ladrões e que vejo eu?

O sr silva, esboço do outro sr silva, completamente perdido na sua obsessão a roçar a paranóia.

Uma nulidade intelectual ou um caso patológico de paranóia?

Uma ideia fixa ou a paragem no discurso sem nenhuma ideia?

A desonestidade encartada ou a cartilha do desonesto?

De

Anónimo disse...

A pergunta impõe-se.
Qual a a razão deste comportamento anómalo do sr silva?

Hum...e a obsessão do coitado com o PC?
Percentagem de votos, 1975, mude~se o o povo...Ah, será que o sr silva não terá consciência que quanto mais esbraceja mais se afunda?
Mais cómico se torna também.

Quão atarefado está o sr silva que perde assim as estribeiras e tenta colar nomes aos seus fantasmas e aos seus complexos.

O retrato ético, social,agora também mental do sr silva.E claro,também político. É impossível ter compreensão ou empatia por ideias defendidas pelo sr silva após estes tristes esboços dum modus faciendi que começa a ser repugnante

Faz lembrar um outro sr silva

De

Anónimo disse...

Sejamos directos.

O sr silva perde a tramontana quando alguém critica o PSD e o PS e o PP.A coisa chegou a um ponto que não sabemos por quem ele sente e toma as dores.Mas em vez de, de forma honesta,mostrar as suas preferências pelos seus amores, volta-se e dispara contra tudo o que mexe.A desonestidade continua pela forma como em vez de se debruçar sobre o que se discute ou sobre o que está na mesa, preferir repetir de forma estúpida o arsenal mediático sobre o partido que ele pensa ser o seguido por quem lhe desmascara o ídolo

Será que ele pensa que assim consegue limpar a imagem deste?Desta forma tonta, preconceituosa e tonta?

O menino não saberá que a partir daqui se torna repelente sequer defender alguém que o sr silva defenda?

Mais um a tentar desviar o tema do debate...

A estratégia mais recente pode-se vislumbrar aqui:
http://ladroesdebicicletas.blogspot.pt/2014/10/a-gaffe-de-antonio-costa-nao-e.html

"É o costa, é o costa" ou uma outra versão do "é o bicho, é o bicho"

De

Anónimo disse...

Voltemos agora ao motivo do debate.
Sampaio da Nóvoa fala na recuperação da nossa soberania e no "bem-comum" como elementos centrais do que deve ser a estratégia para Portugal.
Está certo.

O sr c. silva representa exactamente o oposto desta visão.
Para ele o bem-comum é o bem do poder económico-empresarial. O sentido da independência é a genuflexão à alemanha e ao que ela representa.Bem expresso na condecoração a outro expoente da cena política de direita trampolineira, revanchista e trauliteira, um tal durão barroso, indiciado por crimes de guerra no Iraque.
Quem tiver pachorra que leia a argumentação para a medalha de bom-comportamento atribuída ao alter-ego do sr silva

De

Anónimo disse...

O alegado manel silva podia ser paranóico, mas ficar calado e evitar o ridículo de ver o "De" em tudo que é comentário por assinar.

Podia ter vergonha na cara, por nada dizer ou desenvolver acerca de assunto algum, mas também não tem. Parece um Acácio furioso. banal, previsível - um propagador de ideias feitas, falsamente intuitivas e de hermenêutica falha.

Anónimo disse...

E berra, berra o silva que os anónimos são cobardes,

Mas não é preferível um anónimo que avance ideias e debata a qualquer alegadamente identificado papagaio caceteiro casseteiro?