sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Crise económica e financeira na "Seara Nova"

A revista "Seara Nova" tem no seu número mais recente (Nº 1706, Inverno de 2008) um dossiê especial sobre a "crise económica e financeira" onde para além de um texto deste vosso ladrão (que é politólogo, como sabem), há artigos de ilustres economistas e sociólogos (António Avelãs Nunes, João Ferreira do Amaral, Octávio Teixeira, Manuela Silva e Manuel Carvalho da Silva).

No meu artigo, intitulado "Crise do capitalismo neoliberal: diagnóstico e alternativas", termino assim:

"Numa coisa penso que os neoliberais portugueses têm razão: tudo pode ainda ser pior (Rui Ramos, “Este mundo era o vosso”, PÚBLICO, 17/9/08). É também a tese de Naomi Klein (Naomi Klein (2008), The Shock Doctrine. The Rise of Disaster Capitalism, Penguin) para explicar a combinação entre regimes ditatoriais e neoliberalismo. Aliás, o deslumbramento dos neoliberais com o crescimento económico da ditadura chinesa faz temer o pior. Para nos libertarmos da canga do neoliberalismo é necessário que, quer a social-democracia europeia (e os democratas americanos), quer a democracia-cristã, antigos pilares políticos do Keynesianismo e do Estado Social, quebrem o consenso neoliberal. Como sublinhou Mário Soares (DN, 23/9/08), a esquerda europeia precisa de apresentar alternativas. Algumas ideias do altermundialismo (e não só) podem ser úteis: a Taxa Tobin, o combate aos paraísos fiscais (no sentido da sua eliminação), o relançamento do Keynesianismo à escala supranacional (nomeadamente europeia) e a utilização das instâncias supranacionais (nomeadamente a UE) para regular a globalização. Mas há também que encontrar aliados à direita: Sarkozy (“é o fim do capitalismo laissez-faire” e “é o fim do mercado todo poderoso”) pode ser um deles."

Já nas bancas!

7 comentários:

Anónimo disse...

"Os donos do capital vão estimular a classe trabalhadora a comprar bens
caros, casas e tecnologia, fazendo-os dever cada vez mais, até que se torne
insuportável. O débito não pago levará os bancos à falência, que terão que
ser nacionalizados pelo Estado"

Karl Marx, in Das Kapital, 1867

Anónimo disse...

...tu queres ver que o Kaka era bruxo (também)???

João Rodrigues disse...

Essa citação não é de Marx....

Miguel Lopes disse...

Foi uma citação fantasma que apareceu na net e muita gente engoliu ...
Não tenho a certeza de onde surgiu mas parece que começou neste texto satírico.
Coisas da internet ...

Cumprimentos

Carlos Santos disse...

E ainda faltam outras ondas de crises bancárias:
http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/02/implicacoes-da-crise-na-russia-um.html

Anónimo disse...

Caro André Freire,
Sei que o esquecimento terá sido por lapso, mas aproveito para recordar que também escreveu sobre o mesmo tema o ilustre economista Sérgio Ribeiro, ex-deputado e até hoje único questor português do Parlamento Europeu e Doutor em Economia pelo ISEG (na altura ISE) e professor de economia do desenvolvimento e de economia política de muitos economistas.

Ricardo

Luisa disse...

Caro Ricardo,

Foi de facto um lapso que me passou, sem qualquer intenção.
Obrigado por me chamar à atenção.
André FReire