quinta-feira, 30 de junho de 2016

Saídas limpas, bons alunos, pressões e perseguições


«Qualquer pessoa com dois dedos de testa económica sabe que o que o Governo português está a fazer vai dar resultados positivos no défice. Controlar o défice público nunca foi um problema, excepto em situações de grave crise financeira internacional. É simples e claro. A austeridade é estúpida porque é mesmo assim. Chega, comprime a economia, reduz o défice externo e dificulta a correcção do défice público, mas, quando é retirada, descomprime a economia e, por essa via, etc., etc. Daí a pressão. Caso contrário, para quê fazê-la? Se tivessem a certeza de que as coisas irão dar mal resultado, ficariam calados. Essa pressão é clara.
Não foi por acaso que Schauble falou depois de o FMI ter estado em Portugal e que o FMI esteve em Portugal na véspera de uma cimeira europeia em que Schauble iria falar. Que esta gente sem escrúpulos faça disto, ainda se percebe, pois eles são só isso. Que essa gente tenha colaboradores internos solícitos, nas televisões e nos jornais, já se percebe menos. Entretanto, deve ser quase desesperante governar assim, sob indevidas pressões, de agentes externos, de colaboradores internos, mas tem de ser. E deve ser muito difícil para as pessoas, que podem não perceber bem o que se está a passar, serem assustadas quotidianamente desta maneira.
Que país é este? Ponham a mão na consciência. Muitos dos colaboradores internos porventura não saberão o que estão a fazer. Então, perguntem ao vizinho de baixo, ao homem do café, que eles talvez expliquem. Quando é que isto vai acabar? Quando é que Portugal vai dar a voz que deve dar nesta Europa todos os dias mais um bocado de pantanas. A conversa sobre as "multas", sobre outro "resgate", sobre o "corte dos fundos estruturais" são, simplesmente, conversas de perseguição, de pressão, de gente que tem determinados intuitos políticos, de indevido controle político. Pense-se nisso. E não se colabore.
»

Pedro Lains, A pressão

18 comentários:

Jose disse...

«A austeridade é estúpida....reduz o défice externo....»
A austeridade pode ser estúpida para toda a gente menos para os credores que podem ver o défice a ser reduzido mas vêm a dívida a aumentar.
Mas isso são contas do futuro, por agora vivamos a felicidade geringonçosa.



Anónimo disse...

As contas dos credores. É isso aí.
É por causa mesmo disso que o josé está aqui.A defender o seu direito ao saque.

Um solícito colaborador interno,
A fazer as contas do presente e se possível do futuro. À cacetada

Anónimo disse...

Um bom texto de Pedro Lains, encimado por uma fotografia fabulosa.

Registe-se o namoro ideológico de ambos (e não só). O sorriso do Patrão e o sorrisinho subserviente de quem obedece e trai

Anónimo disse...

Schauble atenta contra nações inteiras sem qualquer despudor. Este senhor,a comissão europeia e todos os que têm contribuído para a desgraça que é esta europa têm de ser responsabilizados pelos actos que cometem. Todos eles traíram os seus países e os seus povos, todos eles fazem prevalecer o poder dos mais fortes sobre os que não se podem defender. É obsceno ver a desfaçatez desta gente.

L. disse...

lá temos que aturar os "josés" do costume a defender o direito ao saque, à usura, e ao enriquecimento perpétuo do 1% do topo.

Anónimo disse...

De facto e´ difícil governar deste modo, mas alguém já disse que quem corre de gosto não cansa e como verificado, cerca de 70% dos votantes portugueses dão o voto aos partidos PS-PSD/CDS que defendem a Ditadura Neoliberal (UE). Portanto temos uma Pseulo/república.
Como em “democracia aburguesada”, a minoria terá de respeitar a maioria mesmo que seja reacionária, só poderia dar numa servidão…de Adelino Silva

Carlos Sério disse...

Nem mais. parabéns pelo texto claro, lucido e pertinente.

Anónimo disse...

Pedro Lains, como de costume, premeia-nos com um excelente e cristalino texto.
Só os que sofrem mentalmente do mesmo mal de que fisicamente sofre o alemão Schauble (como é o caso do Zéquinha) podem discordar da excelência do texto.
Mas dessa gente não rezará a história, podem crer Zéquinhas deste mundo.

Jose disse...

A ladainha esquerdalha é sempre a mesma:
- Só um estúpido não percebe que com dinheiro bastante lançado na economia esta tem por destino certo crescer.
- A verificar-se que a economia cresça mais depressa do que a sua distribuição alcance transformar a riqueza acrescida em consumo e investimento não reprodutivo, só um estúpido não vê que vai sobrar para os credores.

Assim, só um estúpido não vê que cabe aos credores emprestar dinheiro bastante pelo tempo suficiente a que o povo se dê por satisfeito e consinta em pagar o que se deve.
Evidências...

Anónimo disse...

Evidência triste a deste pobre coitado a espalhar a estupidez por todos os cantos dos variados blogs em que assiste. Insistindo sempre nestes termos que definem a qualidade formativa,educativa e ideológica. "Estúpido", a palavra utilizada por três vezes como quem assiste um fado triste .

Eis a sua dança macabra em prol dos credores, como quem cumpre outra evidência triste: Por cada Schauble, figura sinistra do Capital mundial e simpatizante abjecto da extrema-direita, existe um Jose, figura típica dos desprezíveis vende-pátrias, ao serviço precisamente destes Schaubles sinistros

Anónimo disse...

A biografia de Schauble tem sido cuidadosamente ocultada. Na wikipedia em língua portuguesa assiste-se a um asqueroso esconder daquilo que é este tipo.

Basta virar de língua para termos uma ideia de quem é Schauble ( e dos amigos que tem por cá, a limpar-lhe o currículum e a lamber-lhe as botas):

"Schauble defiende, entre otras cosas, el empleo de las Fuerzas Armadas alemanas (Bundeswehr) en el interior del país (prohibido por la Constitución alemana y rechazado por todos los demás partidos con representación parlamentaria), el uso de informaciones obtenidas por servicios secretos extranjeros a través de la tortura de sospechosos (rechazado también por políticos de todos los partidos, incluidos algunos de la propia CDU-CSU) y el rastreo secreto a través de Internet de ordenadores de personas sospechosas (propuesta con posibilidades de avanzar).
Además, causó una polémica al sugerir, en una entrevista con una revista alemana en julio de 2007, la ejecución selectiva de terroristas, además de internar de forma preventiva o prohibir el uso de teléfonos móviles y de Internet a sospechosos de terrorismo contra los que no se puedan tomar otras medidas. Estas propuestas fueron rechazadas casi unánimemente por la opinión pública alemana, además de por el comisario de Justicia y de Interior de la Unión Europea, Franco Frattini.
Por lo que respecta a la política europea, sus posiciones suelen asociarse a una línea o corriente próxima al federalismo continental".

Anónimo disse...

Mas a folha do ministro alemão inclui corrupção, aquele crime que se associa aos países do sul mas que marca a política neoliberal de todos os cantos como uma sarna gigantesca e intratável

"El 2 de diciembre de 1999, Schäuble, en una reunión del Bundestag alemán fue abucheado por diputados como Hans-Christian Stroebele por sus contactos con el traficante de armas Karlheinz Schreiber. Wolfgang Schäuble dijo en audiencia pública ante el Bundestag alemán, que tuvo "en algún momento a finales del verano o principios del otoño de 1994", "una tarde de charla en un hotel en Bonn [...] en la que conocí a un señor que suponía que dirigía una empresa. Más tarde me enteré de que este señor era Schreiber. [...] En todo caso, me encontré con el Sr. Schreiber. Eso fue todo".

El 10 de enero de 2000, Schäuble admitió que fue aceptada una donación de 100.000 marcos alemanes a la CDU hecha por el condenado por evasión de impuestos traficante de armas Karlheinz Schreiber en 1994. El 31 de enero de 2000, tuvo otra reunión con Schreiber. El tesorero de la CDU había registrado la cantidad como "otros ingresos".

Schäuble declaró que había recibido personalmente el dinero en un sobre de Schreiber en su oficina de Bonn. Esta donación se había pasado "cerrada y sin alteraciones" a Brigitte Baumeister. Más tarde se enteró de que la donación no fue "tratada adecuadamente". El extesorero de la CDU, Brigitte Baumeister, contradijo esta versión de Schäuble.

A partir de septiembre de 2000, se pidió a Schäuble en el Bundestag que justificara "que se incumplieron las leyes bajo la responsabilidad de la CDU". Por otra parte, también pidió "disculpas sinceras" en diciembre de 1999, por la parte de verdad que él había ocultado de su contacto con el traficante de armas Karlheinz Schreiber.

El dinero, en cualquier caso, no apareció en ningún informe anual de la CDU. Se inició una investigación en contra de Schäuble por falsedad en las declaraciones relativas a la donación, así como de investigación de Brigitte Baumeister. Según los datos en el momento del procesamiento, es de suponer que se donaron 100.000 marcos alemanes una sola vez. La sospecha era, de hecho, sobre la cuestión de si existía probablemente otra de de 100.000 marcos: la primera vez como una donación "inocua" para la campaña de la CDU, y posteriormente como soborno "bajo la mesa" para un proyecto de defensa. Tampoco está claro si son especulaciones y si es así cómo Schäuble utilizó sus conexiones con la Cancillería Federal (lo que Schäuble siempre ha negado). La cuestión sigue siendo, dónde están los 100.000 marcos que se dejaron en ella"

E não,não se trata duma informação filo-comunista mas está escrita numa wikipedia mais decente

Anónimo disse...

Declarações de Schäuble mostram que a “desconfiança se instalou”, diz Passos.

Este tipo chefiou o governo português durante 4 anos. Serviu este alemão e serviu os interesses que este alemão serve.
Este tipo é o presidente do PSD e continua a servir o alemão e os grandes interesses que este alemão serve.

Há tipos que têm a marca da vilania inscrita no seu percurso de rastejante serpente

Antonio Cristovao disse...

O principal é não colaborar no pagar a divida e exigir solidariedade.Os que têm saldo excessivo devem pagar aos que têm défice, como nós e gregos.

Anónimo disse...

Mais uma vez um comentário com falta de vergonha da parte do sr Cristovão

Tem alguma falta de maturidade este exprssar de coisas um pouco pavlovianamente num blog como o LdB. Comentários desta qualidade são habituais em antros de blogs ou nas caixas de comentários de jornais generalistas que servem de escoamento funcional para alguns.

"colaborar ou não colaborar" eis a questão. Um espectáculo isto. Tal como o silêncio cúmplice e afectivo com o denunciado corrupto alemão.

Jose disse...

O que pode ser dito neste blogue sem incorrer na ira dos que se dizem zeladores do seu padrão ideológico está cada vez mais difícil.
Quando o excedente alemão, incumprindo as tão apreciadas regras da UE, é proclamado ser obtido às custas da exploração das periferias, e o Cristovão a isso dá eco, logo os zelotas o atacam!!!

Anónimo disse...

Por favor alguém diga aí ao sujeito das 15 e 45 para se deixar de cenas canalhas.

Por favor, cenas piegas desta categoria não.

Senão lá terá que encetar mais um capítulo da sua agenda dos coitadinhos.

Anónimo disse...

Que se saiba o único estúpido que por aqui anda é o Zéquinha calvinista.
Mas tal como calvino foi á vida,também ele, o tal Zéquinha, há-de ser corrido daqui mas sempre democraticamente.
É que de Calvinistas e de Luteranistas estamos nós todos fartos, ouviste ó Estúpido.