sábado, 8 de fevereiro de 2014

É isto

«Vem aí o lúgubre e terceiro-mundista sorteio de automóveis de luxo pela administração fiscal. Esmagado pelos impostos, reduzido à subsistência como no ancien régime, vai o povo-contribuinte ver se lhe sai um BMW de luxo. É Louis XVI a sortear uma carruagem em talha dourada entre os campónios reduzidos à fome. Não poderíamos, ao menos, ser poupados a esta vergonha colectiva? A ideia pareceu muito boa a estes lojistas. São ultra-utilitaristas, se lhes falarem em dever, cidadania, justiça, moderação, riem-se com gosto de interlocutor tão parvo. Aprenderam no MBA deles que cada burro requer a sua cenoura, senão não se move. E com um sorteio poupa-se nas cenouras. E se em vez de cenoura for um BMW, o burro vai a galope, como um puro sangue inglês, mesmo subalimentado. Estes alarves pensam como alarves e, com tempo, farão de nós alarves. Miseráveis, quebrados pelas dificuldades diárias, sem esperança em coisa nenhuma, a única oportunidade que temos de fugir a este destino é sacar o BMW. Vamos todos, portanto, ligar a TV, em boa ordem e com civismo, que vai dar o telejornal e o Dr. Núncio vai girar a tômbola! Depois vamos ver em directo a entrega do carro a uma família, que não tem dinheiro para aquecer a casa no inverno, mas que beijará os pés do Núncio, enquanto três pindéricas circulam com cartazes a dizer Viva a retoma! Viva o excedente! Viva Portugal!»

Sérgio Sousa Pinto (via facebook)

19 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Entrámos em desatino, o país virou casino !!

E é da "Santa Casa" o patrocínio

Anónimo disse...

A Maria Antonieta também dizia referindo-se ao povo faminto: Têm fome, comam brioches!

Anónimo disse...

Que queiram dar um prémio a quem exige factura, até acho boa ideia.

Que queiram oferecer carros topo de gama acho um disparate que mostra bem o que esta gente é e de onde vem.

Porque razão carros e não dinheiro? Será porque haverá alguém a intermediar o negócio, mais uma vez a ganhar à conta do nós todos?

Ainda se fosse tecnologia portuguesa, ajudava-se a economia nacional, assim vai contribuir para as exportações... da Alemanha. Bravo!

E contribuir para a sociedade consumista, ter uma "ganda" carro é que é bom, não é queimar as pestanas e viver de bolsas incertas e fugazes.

E depois o que fará um pobretanas a quem sair o dito carrão? Empenhar-se mais para pagar a gasolina e o selo? Revendê-lo (abaixo de custo, bom negócio para alguém) para pagar as dívidas? E lá se vai o imposto automóvel que o governo não pagou à cabeça. Uma verdadeira política Keinesiana de pacotilha.

Sempre a praticar o pior de Portugal e a incentivar o pior de Portugal.

PG

Anónimo disse...

Querem nos tornar uma massa disforme de bestas..para todo o serviço...

meirelesportuense disse...

Os pobretanas poucas hipóteses terão de sacar o SuperCarro, porque o sorteio é feito com base em quem mais facturar o que de imediato vai recair sobretudo sobre os ricaços, senão porque falariam eles em GamaAlta?...Se sorteassem um FiatPunto ou um CitroenC3, nenhum dos ricaços se moveria!
É um Governo ao serviço dos RICAÇOS e pronto, está tudo dito!

meirelesportuense disse...

É o TotoFisco!
Num País falido -segundo eles- vão buscar dinheiro aos Desempregados, aos Funcionários Públicos e aos Reformados para comprarem e sortearem Carros de Luxo!...Que desaforo vergonoso a quem é obrigado a curvar-se perante a sanha persecutória deste Governo!

Jose disse...

É bem um alarve com ares de bem pensante quem produz texto tão sem nexo.
Como crónico presunçoso, estou certo que será capaz de dizer horrores sobre a evasão fiscal enquanto o país é atapetado de 'consultas de mesa', esse principal instrumento dinamizador do sector da restauração!

Anónimo disse...

Ò palerma José, é a oferecer Bmws que vais combater a evasão fiscal? Com ideias idiotas desse calibre passa ali na Lusófona que dão te um certificado.

meirelesportuense disse...

Volto ao tempo da Escola Primária em que os Professores atiravam rebuçados aos alunos, colocados a monte, para que eles lutassem entre si para ganharem o seu quinhão!...Ficou-me gravado na mente.
E há pouco tempo, as corridas ao Pingo Doce ou ao Média Marcket...
-Os seres humanos são muito pequeninos e patéticos.

Jose disse...

Frustado por não apanhar rebuçados o Meireles dá-lhe para desdenhar dos humanos e acredita nem ser pequenino nem patético.
Um idiota mais acima,espera pelas campanhas de reeducação - provavelmente socialistaa - para combater a evasão fiscal!
O que leva gente a acreditar ser grande só porque se põe em bicos dos pés?

Adelino Ferreira disse...

Concordando com o post, e não gostando de fb,pergunto ao Sérgio o que faz o PS para que este pesadelo acabe?

Cláudio Teixeira disse...

Repito a pergunta de Adelino Ferreira ao Sérgio Sousa Pinto

Cláudio Teixeira

Alvaro disse...

Isto do sorteio creio que é copiado de uma ideia que já existia No Brasil há mais de 30 anos.
Mas como a probabilidade de ganhar um carrito é substancialmente menor do que a de morrer atropelado continuo com a minha política:
AMIGO NÃO EMPATA AMIGIO;
NÃO QUERO FACTURA.

Daniel Ferreira disse...

Como diria o meu antigo camarada Saraiva: é o fim do mundo em cuecas.
Embora concordando com a ideia de incentivar ao pedido da factura, as condições e prémios mostra que não deixamos de ter afinidades venezuelanas. Não terá este sorteio outros interesses? O próprio prémio é de alguma forma envenenado, pois atrás do valor do carro vêm o UIC, sêlo,seguro...
Isto vindo pouco depois da ideia peregrina de que a ASAE pode multar quem for apanhado a não pedir a factura. Ainda será obrigatório a participação?
Leiam Orson Wells: o triunfo dos porcos, e George Orwell: BigBrother

Daniel Ferreira disse...

Uma correcção no titulo do livro: George Orwell escreveu "1984", onde surge a ideia de BigBrother. Peço desculpa pelo engano

R.B. NorTør disse...

Por acaso são ambos do Orwell...

Caro José,

Basta ver a dimensão do que foi o perdão fiscal concedido às empresas que andaram a fugir ao fisco, com esquemas de planeamento fiscal, para se perceber que há muitas consultas de mesa que vão continuar a fazerem-se, com o beneplácito e alto patrocínio deste governo. E se duvida disso, veja como a reforma do IRC apenas benefecia grandes grupos internacionais e sufoca ainda mais as pequenas e médias empresas, que parecendo que não ainda são para cima de 60% do nosso tecido empresarial.

Jose disse...

Caro RB
Não sei onde foi buscar a ideia de a reforma do IRC prejudica as pequenas e médias, sendo que as grandes têm uma sobretaxa!
Quantos não pagavam dívidas por somadas as alcavala não poderem fazê-lo?
Quantos pagaram mas mantiveram a contestação da dívida?
Outros...ninguém sabe toda a história.
Planeamento fiscal é um direito;e 60% das acções do fisco são recusadas em tribunal.
Seguro é que, por muito estar mal não se concluiu ser tudo mau!

R.B. NorTør disse...

Não sei se se deu ao trabalho de ir ver a reforma do IRC. Caso não tenha ido ver os detalhes, veja o que dizem dela os TOCs, ou veja o que comentadores de órgãos tão esquerdistas como ou o Diário Económico ou o Jornal de Negócios (foi um deles, penso que o último), que a ela dedicou um "dossier".

Não sei quão grande será necessário ser para se levar essa sobretaxa, quando a EDP, essa dos chineses, poupa em IRC aquilo que paga em sobretaxa das energéticas.

Planeamento fiscal tem limites. E para nos mantermos na energetica, basta dizer que a EDP na Holanda é o paradigma para as fraudes de dupla-não tributação.

Quanto ao efeito nas pequenas, ficam na prática na mesma. O que somado a menos volume de negócios, menos possibilidade para planeamentos fiscais (dentro ou fora dos limites do mesmo) ou a custos aumentados nas matérias primas e energias, faz com que a situação destas só piore.

Não defendo de forma alguma a evasão fiscal, mas a verdade é que se o merceeiro do meu bairro e o Belmiro tivessem o mesmo tratamento por parte do fisco, se calhar não era preciso o merceeiro fechar portas.

GL disse...

Há muita forma de ver como se bateu no fundo.
Ah! Mas é bom não esquecer que há varios tipos de "fundo".