sábado, 27 de agosto de 2011

A frase bem torneada não chega

A frase bem torneada compensa o mais odioso preconceito de classe, a flagrante falta de rigor histórico ou o extremismo ideológico neoconservador mais empedernido? Faço esta pergunta a propósito das crónicas de Pulido Valente no Público. A resposta é negativa, claro. Hoje, Valente presenteia-nos com uma crónica sobre o fim da “sociedade social-democrata”, afirmando, entre outras coisas, que a actual dívida pública dos EUA e do Reino Unido é maior, “muito maior”, do que no fim II Guerra Mundial. Se Valente está a falar em valores absolutos, tal afirmação é trivialmente verdadeira. Se está a falar em termos da riqueza gerada, em percentagem do PIB, o que conta, tal afirmação é falsa. Olhem para o gráfico. É preciso não esquecer que os EUA e o Reino Unido têm soberania monetária, ao contrário dos países da disfuncional zona euro, o que torna o recente aumento da dívida pública, resultado das crises e das correspondentes transferências de dívida privada para o sector público, facilmente “gerível”. Reparem como se regista uma queda quase a seguir à II Guerra Mundial, no auge do consenso keynesiano feito de controlo de capitais, compressão das desigualdades e, claro, muito crescimento com uma pitada de sal de inflação, a melhor receita para fazer cair o peso da dívida no PIB. Com o regresso das utopias liberais, feitas de liberalização financeira sem fim e de uma política económica pensada para reconstruir os rendimentos e a riqueza dos que estão lá muito em cima, recomeçam os problemas para a maioria. É o tempo da hegemonia intelectual dos Pulidos Valentes desta vida. Até quando é que isto vai durar?

7 comentários:

João Carlos Graça disse...

Caro João
As questões são, pois:
a) como diabos decidimos nós que perder soberania, e ainda por cima em proveito duma arquitectura institucional "disfuncional", é uma coisa fundamentalmente boa, ou pelo menos potencialmente boa?
b) por que diabos ainda não nos fomos embora da tal zona disfuncional, isto é, nos convencemos, ou deixámos que nos convencessem, de que isso constitui um dado pretensamente "irreversível" (como em tempos se dizia também, p. ex., das nacionalizações)?
c) Sendo certo que "salário" vem de "sal", e constituindo a supressão da "pitada de sal" (ou a adesão à doutrina da comida insossa) uma tentativa de justificação ideológica da compressão global dos salários, como é que a esquerda demorou tanto tempo a perceber isso - pelo que uma parte dela ainda hoje defende a suposta bondade "intrínseca" da tal arquitectura institucional disfuncional/insossa?

Anónimo disse...

Às vezes o software legalmente pode ser carregado e usado em vários computadores. Outras vezes, legalmente só pode ser usado em um. Alguns de licenciamento de software legal ...
http://www.ateamairsoft.net

Manuel disse...

Oh Anónimo:
Não te trates não?
O Miguel Bombarda já fechou, mas há outros sítios onde os tipos como tu se podem tratar.
Pede ao teu médico de família que ele indica-te.

gogol de kapote disse...

considerar uma dívida em 1850 que seria em poucos anos dissolvida nos impostos imperiais de 30 milhões de kilométricas àreas

ou em 1950 no pós guerra....

é o mesmo que comparar os 50 mil pensionistas de 47 com os 2 milhões e tal de hoje

tal como cá situações demográficas completamente....

Manel de Portugal trata-te filho.... disse...

duminică, 28 august 2011
MANEL DE PORTUCALE TÁ DE VOLTA-REIS DE PACOTILHA SURGEM EM TODAS AS CRISES

CEGUEIRA E PÚS, LADO A LADO

MEDO E ÓDIO MISTURADO, ILETRADO

AS GENTES DE VOTO COMPRADO

LANÇAM PALAVRAS AO VENTO


SE AQUÊLE QUE VIVE LENTO

AO MENOS FÔSSE FELIZ

FARTURA TRARIA AO PAÍS

E NÃO VISÕES DE SOFRIMENTO


SÓ EU, LOUCO RECUSEI

A PAZ COMO ÚNICA OFERTA

MINHA ESPADA NÃO DESERTA

PROCURO EM BATALHA INCERTA

A MINHA COROA DE REI
Publicat de gogol de kapote la 09:24
Trimiteţi prin e-mail Postaţi pe blog! Distribuiţi pe Twitter Distribuiţi pe Facebook Distribuiţi pe Google Buzz
Etichete: REIS DE PACOTILHA SURGEM EM TODAS AS CRISES

one hundred trillion dollars disse...

The National Debt began when William III engaged a syndicate of City merchants to market an issue of government debt. The syndicate became the Bank of England, and HM government debt began a century-long climb, financing Marlborough’s wars, wars against the French, against the North American colonial rebels, and peaking in 1815 at the end of the Napoleonic Wars at over 200 percent of GDP. Government debt exploded in World War I and World War II and then equalled the level of 1815 reaching over 200 percent of GDP. Debt declined below 50 percent of GDP by the 1970s.

e para 25% nos anos 90...ano da liquidação e transferência da indústria pesada inglesa...

Nostragallus disse...

Enquanto a Esquerda continuar a defender o dinheiro de papel e respectiva consequência inflacionista, a Direita continuará a levar a água ao seu moinho.

A Inflação só serve aos Capitalistas Financeiros. Os aumentos salariais nominais calculados com base numa taxa de inflação manipulada são meros rebuçados para adoçar as bocas sedentas dos Trabalhadores.

A única forma de defender o poder de compra dos salários é amarrando a massa monetária à produção real da economia. Até hoje, não se inventou melhor do que o Ouro. E o seu preço actual reflecte isso.