segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Choques

Luís Amado não se chocaria se Estado nomeasse um membro para a gestão do Banif. A lata desta gente não tem fim. Notem que estamos a falar de um periclitante banco, em que 99% do capital está neste momento em mãos públicas, mas em que o governo se abstém no essencial de mandar, já que não tem ninguém na administração. Negócios estrangeiros, de facto. Pelo seu percurso, Luís Amado, que acumula com a administração da sociedade de desenvolvimento da zona franca da Madeira, é um bom exemplo da bancarrotocracia vigente, a que tem em Ulrich um dos seus símbolos mais poderosos e em Franquelim Alves mais um exemplo da rotação entre negócios, com todo o empreendedorismo à mistura. Que força é esta? É a força de um governo que faz de tudo para agradar às fracções mais financeirizadas do capital. É a força de um enquadramento europeu que é a garantia das suas políticas. É a força de um passado recente, mas já com mais de um par de décadas, feito só de vitórias. É a força que já não se lembra de um certo decreto-lei, nos idos de Março de 1975, e do espírito dessa época. Esta falta de memória, e a arrogância que a acompanha, pode vir a ser a sua fraqueza fatal. Desculpem, mas é o optimismo da vontade, que escasseia, a falar. A verdade é que a história não acabou e a da banca muito menos.

5 comentários:

Anónimo disse...

Só 99%,então vale só 10 milhões?
Vou já tirar de lá o guito.

Anónimo disse...

E a banca suiça, ponho no UBS ou noutro?

D., H disse...

Definitivamente, e sem rodeios, o poder político é o prolongamento dos interesses da banca e dos grandes grupos económicos. O Estado está refém, e nós todos, reféns ficámos, desde que houve manipulação da dívida.
Confiar em quem? No “banqueiro socialista amigo do Bilderberg” ou no ex-administrador da SLN/BPN?

Só vejo uma única solução: expulsar para bem longe as raposas do galinheiro!

Anónimo disse...

Choque, além do mais, é ouvir F.Ulrich a dizer baboseiras e disparates dignos da sua grande estupidez e idiotice, que não da sua grande arte de sacar dinheiro ao erário público( a todos nós enfim).
Choque, além do mais, é ver tal personagem,caricata e parva, ter tempo de antena e figurar em paginas de jornais,qual JMFernandes elevado a N.

Anónimo disse...

Arre que esta gente mete mesmo nojo.!!!
E era ( ou ainda é ?) este galfarro figura grada do governo do PS.
Chiça que o PS sabe mesmo escolhe-los.!! Cada tiro, cada melro.!
Com gente deste calibre não precisamos de inimigos.