quarta-feira, 1 de abril de 2009

Não entendem o essencial da crise!



Aprecio a preocupação do Ministro das Finanças de Portugal quanto ao "risco de problemas sociais sérios" em Portugal, de acordo com o jornal Público. É evidente que este problemas não são um "risco", são há muito uma realidade. Mas percebo. Está a referir-se a alterações graves da ordem pública. Portanto, há que colocar a polícia de choque em prevenção.

Ainda assim, ao ler a notícia, não pude deixar de confirmar que a nossa governação socialista está muito mal entregue. Primeiro, porque o ministro afirma coisas como esta: "Isto não é ideologia, é dos livros, é pura economia". Como se nos manuais de economia pudessemos encontrar a verdade da "ciência económica". Como se muitas teorias que lá se encontram não pertencessem a um certo cânone há muito contestado por outras teorias. Pelos vistos, para o ministro, não há correntes de pensamento na Economia. Apenas a "pura economia". Nada que surpreenda porque vem na linha dos anteriores ministros das finanças de governos socialistas.

Depois, diz-nos o Público, terá afirmado que as actuais políticas de intervenção na economia correspondem a opções "meramente conjunturais". "Passada a crise, retomaremos o percurso de consolidação orçamental", prometeu". Quer dizer ... a crise não vai alterar nada de fundamental na constituição económica da Zona Euro. Para mim, isto é preocupante porque mostra que o Governo não entende o essencial da crise. E, se não entende, como pode intervir adequadamente, aqui e no âmbito da UE?

Agora, confrontem as declarações do Ministro das Finanças de Portugal com esta análise da crise feita por James K. Galbraith e tirem as vossas conclusões.

5 comentários:

Portaria59 disse...

O blogue http://portaria-59.blogspot.com/ foi silenciado pela ditadura, para saber mais vá aqui: http://pulseiraeletronica.blogspot.com/, deve ter sido o quinto blogue encerrado em Portugal depois de vários outros terem ido a tribunal por dizerem as verdades. As eleições estão à porta mas nada faz parar a ditadura na sua ânsia de poder, neste momento desde o seu presidente de câmara municipal até ao deputado pelo seu circulo só pensam quem vai manter o tacho ou arranjar outro, não pensam em si caro eleitor que só tem voz de quatro em quatro anos nas eleições que os vão colocar no poleiro por mais quatro anos. É a pura verdade. Por isso silenciam quem lhes faz frente na tentativa de apagarem casos como Freeport, Portucalle, Portaria 59/2005, etc. É o Portugal que temos, eles vão-se apresentar a eleições brevemente, é este tipo de gente que nos governa e quer continuar a governar, desde a sua junta de freguesia até ao primeiro-ministro, já são milhares os exemplos de abandono do povo, ao denunciar isso mais as ilegalidades que cometem fecharam simplesmente um blogue que lutava pela defesa do Património e da memória de um Povo outrora chamado Portugal.
Vivemos agora em Roubugal, ditadura severa, já depois de ver o blogue fechado reparei que um endereço de e-mail onde usava a mesma password foi também apagado, quem o fez sabia ao que ia e como o fazer, além da violação da minha privacidade tive que formatar o computador pois foi impossível sacar o vírus instalado, perdi toda a informação guardada, fiquei triste e revoltado como podem entender. A coincidência de tudo ter acontecido na mesma altura em que participei na fundação do Movimento Democracia Directa talvez seja mais uma explicação ou aviso do que uma pura coincidência, não faz mal, os documentos que muitos leitores enviaram a denunciar abusos e crimes estão a salvo, venho pedir ao autor deste blogue e a todos que lerem este comentário o favor que passem este texto nos seus blogues ou que o copiem e reenviem por e-mail para todos os seus amigos, o motivo é avisar toda a gente que contactou comigo que verifique o estado do seu computador. Não acredito em bruxas, mas que existem; existem!
Saudações Sócretinas a todos.
Alexix

Miguel Fabiana disse...

Certezas à parte ("Nunca temos certezas, as certezas sao para aquelas pessoas que nao amam a verdade"), ninguém sabe muito bem o que é que aconteceu e que agora designamos por "crise".

Julgo que o termo mais adequado não é "crise", mas "Revolução"! Mas também sei que não é politicamente correcto usar, nos próximos tempos, esta palavra.

Anónimo disse...

Caro "Portaria Ilegal",

Olha que se quiseres podes recuperar tudo o que escreveste nesse blog. É só quereres...

Um abraço
Stran

Carlos disse...

em relação ao artigo do sr. Galbraigth, em particular quando ele fala que o estado americano devia aumentar os beneficios na segurança social e medicare, penso que ele ainda não viu o que este senhor Chris Martenson diz aqui :http://www.chrismartenson.com/blog/social-security-stunner-bankruptcy-nation-moved-several-years/15944.
Agora tirem as vossas conclusões

Carlos disse...

Em relação à nationalização dos bancos, á semelhança do que foi feito na suécia há alguns anos, até concordo com o senhor, mas as propostas seguintes são simplesmente ridiculas :

"Third, we will soon need a jobs program to put the unemployed to work quickly. Infrastructure spending can help, but major building projects can take years to gear up, and they can, for the most part, provide jobs only for those who have the requisite skills. So the federal government should sponsor projects that employ people to do what they do best, including art, letters, drama, dance, music, scientific research, teaching, conservation, and the nonprofit sector, including community organizing—why not?"

De que forma é que tirar dinheiro da economia produtiva para financiar actividades não produtivas subsidiadas pelos contribuintes pode ajudar a consertar a economia??

Se alguem conseguir que explique, porque eu não chego lá.