quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Para muitos, o meu momento alto durante o último Prós & Contras


Juro que não fiz de propósito, mas a julgar pelo sucesso que teve nas redes sociais, vou forçar este tipo de lapsos de linguagem nas minhas futuras intervenções televisivas.

10 comentários:

Anónimo disse...

drÓgado.

Alexandre disse...

O conteúdo da sua mensagem esmaga completamente qualquer erro de linguagem.
Espero que continue a dar lapsos com esta magnitude para ver se as pessoas começam a abrir os olhos.
Parabéns mais uma vez,
Alexandre

R.B. NorTør disse...

Ainda estou a ver estrelas com a imagem escolhida. É pena que o resto da mensagem se perca nesse detalhe, mas se calhar tem razão o Ricardo ao falar em erans LSD... Devem ser os monitores do computadores da troika, para aqueles número baterem certo! :P

Manuel Silva disse...

Caro R. P. Mamede:
Lapsos de linguagem qualquer pessoa pode ter.
Não se preocupe com os que só conseguem reter da sua intervenção o «lapsus linguae», pois se não tivesse sido este teria sido a cor do seu casaco, o tamanho da sua barba ou outra minudência que os interessaria.
Continue com as suas intervenções com a qualidade a que nos habituou.
A mim, para além da atenção ao que disse, tomei nota do incómodo que causou no Manuel Villaverde Cabral, pois do que ele gosta é de falta de argumentos ou de discursos de tipo cassete dos seus interlocutores. Quando o que se diz é de tal modo sustentado na realidade que ele não consegue rebater, isso desagrada-lhe.
Quando alguém apresenta argumentos substanciais e acerta na mouche aquele tipo de gente fica incomodada.
Reparou noutro incómodo do M. V. Cabral: quando o Ricardo se referiu à vergonha que tem em ser representado por um 1.º ministro que teve a deselegância que conhecemos em relação ao programa de Tsipras e ao facto de ter sido um mentiroso descarado em relação às promessas eleitorais?
Ele, M. V. Cabral, que fustigou o anterior 1.º ministro por não ter cumprido muitas promessas, entre outras críticas ferozes que lhe fez por outros motivos, não se incomoda com as mentiras do actual. Veja do que falo:
As mentirolas de Passos Coelho
https://www.youtube.com/watch?v=1OhP5592WI4

Anónimo disse...

Os reaccionários todos estão incomodados com o que diz, vai daí serve tudo para atacar, aparentemente tudo mesmo.

Antonio Cristovao disse...

Tenho muita curiosidade em ver(o tempo esse oráculo o dirá) se as suas previsões se confirmam.
As anteriores(chumbos sucessivos da troika,2-resgate,cautelar,defice não cumprido) tèm todos acertado ao lado, mas esperança é a ultima a morrer.Espero que não leve como pessoal ou provocação mas a pergunta que mais me chocou foi: para que servem os economistas? e claro alencou todas as desgraças que nos tèm fustigado sem que os emeritos mestres internacionais e de cá tenham previsto seja o que for. Acertar só no fim do jogo, daqui a uns dois anos, vamos ver se o SYriza governa bem.

Anónimo disse...

Para falar francamente só mesmo idiotas chapados dão relevo a tal no meio do que de substantivo e com qualidade disse.

A "americanização" dos debates ( ou seja a"idiotia acéfala" transformada em juíz de faits divers) ainda conta por cá com muitos críticos.

A idiotia acéfala continuará por cá. Com outras coisas mais, a fazer valer tudo nesta guerra sem quartel

De

mexilhão disse...

Os que combatem a austeridade têm um problema de comunicação. Já tenho dito que as tiradas de senso comum como as que comparam a gestão do País com a de uma família usadas pelos liberais do regime que nada têm de bom senso, têm um efeito avassalador e que é necessário responder na mesma moeda! Só assim o povo pode compreender melhor o que está em jogo. Por exemplo quando me dizem que quem contrai dívidas tem que as pagar seja em que circunstâncias for, respondo com um exemplo de uma família com dívidas e que o pai ou mãe ou os 2 ficaram desempregados e que devido à redução de rendimentos (se beneficiarem de subsídios de desemprego) têm que optar: ou pagam aos credores mas deixam morrer os filhos à fome ou sustentam os filhos e negoceiam com os credores. É tiro e queda. Ninguém opta pela 1.ª opção...

Anónimo disse...

Por mim está certo o termo até pode ser usado e interpretado correctamente. LSD (Large Screen Display). Equivalente a monitores/televisões de grande formato. LCD (Liquid Cristal Display) Tecnologia usada em alguns dos actuais LSD.

Anónimo disse...

Parabéns pela sua intervenção no programa, penso que os discursos devem ser frontais e acutilantes e o seu é pautado por estas duas características. Identifiquei na moderadora do programa uma estranha necessidade de encontrar um consenso entre os intervenientes, esta perspectiva deve ser frontalmente recusada, pois este posicionamento não só introduz ruído no debate como diminui os presentes.