quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Enterrar a cabeça na areia


Bem sabemos que só o BCE, convertido num verdadeiro banco central, com recursos financeiros ilimitados, pode acabar no imediato com a especulação. Mas converter o BCE num banco central e mutualizar pelo menos uma parte da dívida dos Estados da zona euro significa criar um Estado federal com um orçamento que pague transferências das regiões ricas para as pobres. Acontece que a própria Alemanha é um Estado federal, sendo muito duvidoso que a maioria dos seus cidadãos esteja disposta a integrar um Estado federal de nível superior, os Estados Unidos da Europa. Acresce que a unificação alemã criou, como não podia deixar de ser, um sistema permanente de transferências financeiras para os estados de Leste, um processo que ainda não foi completamente assimilado pelos alemães ocidentais e que grande parte da opinião pública alemã não imagina que possa ser reproduzido no âmbito da federalização da UE. Aqui, os federalistas não podem fugir à deliberação democrática dos cidadãos a pretexto da urgência das decisões.

(Excerto do meu artigo no jornal i)

5 comentários:

Edgar Carneiro disse...

A especulação faz parte do código genético dos capitalismo.
O BCE "com recursos financeiros ilimitados", a comprar dívida dos países da UE, é um paradoxo.
A dívida, ou melhor, as dívidas têm que ser renegociadas.
Este euro e esta UE estão na fase terminal e não parece sequer que queiram acabar com dignidade.

pvnam disse...

PESSOAL QUE "VENDE TUDO E MAIS ALGUMA COISA":
- pessoal que andou a promover endividamento... agora anda por aí a argumentar que - por forma a evitar que a Europa caia num caos financeiro/económico - é absolutamente necessário um salto quântico federal: EUROBONDS... e... «implosão das soberanias» - uma unificação financeira e fiscal da Europa.
.
.
Anexo:
-> HÁ QUE CORTAR COM AS 'REGRAS' DA SUPERCLASSE:
- A superclasse (alta finança internacional - capital global, e suas corporações) não só pretende conduzir os países à IMPLOSÃO da sua Identidade (dividir/dissolver identidades para reinar)... como também... pretende conduzir os países à IMPLOSÃO económica/financeira.
- Só não vê quem não quer: está na forja um caos organizado por alguns - a superclasse: uma nova ordem a seguir ao caos... a superclasse ambiciona um neo-feudalismo.

Luís Lavoura disse...

Um BCE com recursos financeiros ilimitados é, potencialmente, a nível interno uma inflação ilimitada, e a nível externo uma desvalorização ilimitada da moeda. Porque se quer evitar esses males, nenhum Banco Central tem, na prática, recursos financeiros ilimitados.

Lowlander disse...

Esta uma inflacao do caracas nos EUA, Japao e Reino Unido...
Entao no Japao, vai para quase 20 anos agora que a hiperinflacao e a desvalorizacao excessiva estao ao virar da esquina... tao perto tao perto que o Banco central Japones ate tem de intervir nos mercados para artificialmente desvalorizar o Iene e manter a compettitividade do sector exportador.

Eu gosto mesmo muito desta teoria rigorosissimas! E que sao de um rigor impecavel! Rigorosamente erradas, mas porra pa! Que rigor!

Joao galamba disse...

Está enganado, Luís lavoura. Nao sei se já reparou, mas essa historieta de que a expansão do balanço de um banco central implica necessariamente inflação, depois de 5 anos de crise, foi para o caixote do lixo.