segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Convergência?


Um economista do Deutsche Bank diz à The Economist, a fonte do ilustrativo gráfico, que é “difícil para a Alemanha crescer em circunstâncias negativas”. Profundo. Parece que é difícil crescer quando por todo o lado se promovem políticas de austeridade que minam o crescimento. Será que, apesar do desenvolvimento desigual, estamos a assistir ao início de uma depressiva convergência? Se sim, será que assim se facilitará a superação da austeridade com escala europeia, mas com declinações periféricas que ainda são mais danosas, agora que as interdependências estão claras? Não apostaria numa resposta positiva a esta última questão, dado o peso político da narrativa moralista, das estruturas europeias e dos seus enviesamentos em matéria de política económica, para já não falar da profunda deslegitimação de um processo de integração que se revelou, graças a um euro desenhado pelas utopias liberais, um elemento decisivo de todas as fracturas socioeconómicas com impactos políticos nacionais, mesmo que agora possa ser factor de tardia convergência...

1 comentário:

Edgar Carneiro disse...

Li hoje a notícia de mais um empréstimo do BCE à taxa de o,75% a bancos da zona euro.
Quanto já ganharam e vão continuar a ganhar os bancos beneficiados com estes empréstimos a preço de saldo?
Como se vê a chamada política de austeridade tem um só sentido.