quarta-feira, 27 de junho de 2012

Politicamente

Numa reunião com o seu grupo parlamentar, Angela Merkel terá afirmado que, «enquanto for viva», não aceitará a mutualização das dívidas públicas na zona euro, através, nomeadamente, da emissão dos chamados eurobonds.

A afirmação terá suscitado bastantes aplausos entre os deputados, tendo um dos participantes na dita reunião chegado a proferir (no esteio do servilismo que caracteriza os regimes totalitários) um «desejamos-lhe uma longa vida!».

Ângela Merkel tem todo o direito a assumir e expressar, com o grau de determinação que entender, as suas posições sobre estratégias de política económica. Mas não lhe ficaria mal ter dito que recusa os eurobonds enquanto estiver «politicamente» viva. Como faria, em consciência, qualquer democrata.

12 comentários:

heretico disse...

como em todos os "ditadores", depois dela o deserto...

Diogo disse...

«Angela Merkel terá afirmado que, «enquanto for viva», não aceitará a mutualização das dívidas públicas na zona euro, através, nomeadamente, da emissão dos chamados eurobonds»


Resta-nos desejar que a senhora não dure muito. E que o tempo que lhe falta seja de doença curta e dolorosa.

Nuno Serra disse...

Caro Diogo,
Procurando não entrar numa lógica de «bons sentimentos», quero contudo interpretar - também num sentido estritamente político - a sua referência à «doença curta e dolorosa». É que, de desprezo pelo sofrimento humano, já chega o que a chanceler insistentemente exibe.

Carlos disse...

Isto pelo menos esclarece os incautos acerca do que se fala quando se fala da Alemanha... E seria bom que tivessem isso em conta aqueles que ainda acreditam que é possível "salvar" o Euro, limando-lhe os seus aspectos negativos. Meus caros: o Euro é assim porque a Alemanha assim o quer! e não será doutro modo porque a Alemanha NÃO quer! Então há somente 2 alternativas: ou se está o Euro, seguindo os mais puros dogmas neo-liberalistas e condenando-nos a uma letargia interminável, ou se sai do Euro, e nesse caso será bom que se comece a pensar a sério sobre isso.

Anónimo disse...

Concordo com o carlos quanto à importância de se pensar de forma "séria" acerca de uma saída do Euro mas queria acrescentar mais uma alternativa ás duas do seu comentário, a possibilidade de ser a Alemanha a sair do euro. O conceito de união a que temos assistido confunde-se com o conceito de subjugação e isto não é um pormenor é sim o cerne da questão, qualquer aliança assente nesta lógica parece-me condenada à partida.
Penso que os europeus têm sido bastante benevolentes com a forma de expressão de alguns dos seus lideres, este "enquanto for viva" é um bom exemplo disso mesmo, será que Ângela Merkel está disposta a matar ou a morrer por esta sua convicção? É uma duvida que não nos pode ser indiferente e é uma duvida que não podemos ter.

Anónimo disse...

filha da mãe, quem lhe desse um pontapé no cu goirdo ...

Anónimo disse...

É por afirmações desta natureza, que resta à democracia europeia fazer o mais óbvio - retirar a Alemanha do €uro, da UE e da zona democrática ocidental!

antónio m p disse...

«resta à democracia europeia fazer o mais óbvio»... ou o óbito?!

Anónimo disse...

E em que cemitério deseja morar ?

Ah, e concordo com o Carlos, só há mesmo duas alternativas...e a estratégia da saída do euro já deveria estar toda artilhada...

Glória

Anónimo disse...

Tais afirmações a terem sido proferidas mostram "Miss Pig"(sem ofensa para os verdadeiros) no seu melhor.
Seja como for faço votos que, politicamente, claro, morra rapida e brevemente e de preferência com queda duma grande altura.
Pode ser que assim se lembre( ela e os seus capangas alemães e já agora nacionais)das suas inumeras malfeitorias.

Edgar Carneiro disse...

Desejo que a cuja dita viva durante muitos anos e seja obrigada a assistir à derrota deste projecto antidemocrático e militarista do capital financeiro e monopolista e ao nascimento da Europa da paz e da solidariedade entre os trabalhadores e os povos.

meirelesportuense disse...

Que cara de menina chorona!...Tadinha dela está tão triste e com cara de quem vai fazer queixa ao Pedrinho de Portugal dizendo-lhe que os sindicalistas infiltrados no Conselho Europeu lhe estão a fazer a vida negra todos os dias em que ela pretende botar figura e retirar um Coelhão da cartola!...-Vês Pedrinho querido -mein lieber-, eu queria fazer aparecer um Coelho na minha cartola e os infiltrados não me deixam brilhar!...Buuuuuuu!...Eu queria tanto ser estrela do circo Europeu e eles(?), deixas-me ir para a tua casa de Vila Real, deixas?...Buuuuuuuu!....Snif, snif, snif!...Deixas-me dormir em tua casa, deixas?...