sexta-feira, 22 de junho de 2012

E agora Gaspar?



Falhou Dr. Vitor Gaspar. A austeridade não serve para reduzir défices, nem dívidas. Na realidade não serve para nada, a não ser provocar sofrimento desnecessário. Veja aqui e mais aqui e ainda aqui e acola e acoli. Ufff.

12 comentários:

Anónimo disse...

Não serve para nada não, serve para concentrar a riqueza nas mãos de uns tantos. É por estas e por outras que a esquerda está como está: incapaz de desmontar as falácias neoliberais!

O sofrologista católico disse...

"o programa real do Syriza é o retorno à autarcia e ao proteccionismo, na verdade o único programa genuíno que a esquerda tem na Europa. Escave-se fundo nas propostas da esquerda europeia, dispam-se das roupagens politicamente correctas e o que fica é um erigir de fronteiras face ao dumping social chinês, para manter o que resta do “modelo social europeu”. Se não for possível fazê-lo a nível da Europa, cada país tenderá a fazê-lo por si, com as excepções daqueles que vivem exactamente da globalização e da internacionalização. A Europa proteger-se-á da competição com os produtos chineses mais baratos, feitos com mão-de-obra quase escrava, as deslocalizações serão impedidas porque os seus produtos ficarão demasiado caros ao passarem pela pauta alfandegária, os consumidores pagarão mais caro, mas os salários permanecerão altos e a regalias sociais serão mantidas pelo menos para a presente geração. É uma solução errada, que não funcionará, mas é a única que existe à esquerda para garantir o “crescimento” assente num mercado único europeu protegido."

no abrupto

ele é capaz de ter razão no longo (médio, curto) prazo

para além de ser imoral para os países mais pobres

Maria do Resgate Coelho Portas de Sousa e Suplício disse...

Incompetente é o que ele é...

Anónimo disse...

Gaspar é verdadeiramente o aluno ignorante a quem deveria ser retirado o diploma de economia. Qualquer leigo com o seu senso comum adivinharia o resultado do circulo vicioso da austeridade recessiva. Fica a pergunta. Que tipo de ignorantes letrados produzem as nossa universidades (sem generalizar obviamente...)? Como é possível vender ideologia cega como se fosse ciência "objectiva"?
João Martins

Edgar Carneiro disse...

Sofrologista católico, para o "abrupto" a esquerda acaba nos Syrizas e no chamado modelo social europeu.

meirelesportuense disse...

Pois, estes liberais vêm sempre com estes argumentos...Vê-se mesmo que o investimento capitalista realizado na Ásia foi feito para tirar as vacas das ruas da Índia, limpar as águas do Ganges ou requalificar o ambiente na China...E os cortes salariais que eles promovem na Europa é apenas para os distribuir pelo resto do Mundo, não é?..

Cipriano disse...

A austeridade implica produzir e não importar fechar fronteiras para não sair dinheiro,levantamentos nos bancos controlados,corte total nos subsídios,reformas etc,enfim uma política salazarenta,voltar aos anos quarenta,cinquenta e sessenta.A minha geração ainda apanhou um bocado disso,a do ministro não.Portanto como o homem não tem memória disto,só há duas soluçôes,ou arrepia caminho ou é demitido.Só me admira é como gente inteligente vai por um caminho destes.Podem recuperar as finanças,mas deixam o país arruinado!

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

A austeridade serve para aumentar as desigualdades. E este aumento é um fim em si mesmo, desejado e prosseguido por muita gente poderosa. Uma sociedade menos desigual não seria um jogo de soma zero: se os pobres fossem menos pobres, isto não resultaria necessariamente em que os ricos fossem menos ricos. Até pode ser que ficassem um pouco mais ricos em termos absolutos, embora não o ficassem, obviamente, em termos relativos.

Mas o que lhes interessa é ser mais ricos em termos relativos, não em termos absolutos.

A partir de um certo nível de conforto, já não se procura a riqueza por si mesma, mas sim o maior poder possível sobre os outros. E este exige a desigualdade, mesmo que para a obter sejam necessárias perdas de eficiência económica.

Trata-se de tornar os pobres o mais pobres possível, para que se submetam a tudo. Para obter isto, os ricos não se importam nada de ficar um pouco menos ricos.

Manuel disse...

sofrologista católico:

Eu lembro-me bem do que disse Pacheco Pereira quando o Lula da Silva estava em vias de ganhar a 1.ª eleição para a presidência do Brasil.
E todos sabemos o que aconteceu ao Brasil depois de 10 anos como presidente.
Precisamente o contrário do que Pacheco Pereira disse.
Bingo para o Pacheco Pereira.





disse...

jão mar tintins disse...

Anónimo disse...

Crato agora com
extra-mercúrio é verdadeiramente o aluno ignorante a quem deveria ser retirado o diploma de economia. Qualquer leigo com o seu senso comum adivinharia o resultado do circulo vicioso da austeridade recessiva. Fica a pergunta. Que tipo de ignorantes letrados produzem as nossa universidades (sem generalizar obviamente...os pontinhos...meu...coisinho...pá...)? Como é possível vender ideologia cega como se fosse ciência "objectiva"?
Joãbaskismus Mar tintins

meirelesportuense disse...

Mas o gaspar em vez de reconhecer o erro vai fazer como a generalidade dos teimosos e burros faz, teimar na receita!...E a situação piorará a não ser que apareça por cá um Partido de esquerda que os atemorize como aconteceu na Grécia e levou ou vai levar Samaras a pedir um adiamento dos prazos...Porque isto está tudo interligado, se continuarem com a sensação de poderio que têm agora, vão querer manter o abuso e pior que isso, avançar com estas originalíssimas ideias de 1800!...

Anónimo disse...

A estupidez costuma juntar-se e

falar uma com a outra.

A fotografia é ilustrativa.