sábado, 26 de maio de 2012

Da sociopatia

 
Christine Lagarde declarou, numa entrevista ao The Guardian, que não está lá muito preocupada com as consequências sociais da austeridade na Grécia, traduzidas em grávidas sem acesso a cuidados de saúde, por exemplo, porque o que realmente a preocupa são as “crianças nas aldeias do Níger.” Para Lagarde, os gregos são especialistas em enganar o fisco e devem pagar por isso. E as crianças devem pagar pela irresponsabilidade dos pais. Só não acredita quem não conheça esta gente. Tenham ainda em atenção que Lagarde foi, enquanto ministra das finanças de um país com a sua banca altamente exposta, uma das arquitectas da intervenção externa que gerou o desastre socioeconómico grego. E não se esqueçam também que a grande especialidade do FMI, que esta antiga advogada de altos negócios agora dirige, é há muito desenvolver o subdesenvolvimento, minando as possibilidades de miúdos e graúdos nos países que caíram na armadilha de quem defende sempre os credores. De resto, a entrevista de Lagarde revela que esta gente fará tudo para que a saída da Grécia do euro se transforme numa lição para todos os que tenham veleidades de desenvolvimento soberano. Pode ser que falhem neste intento. De vez em quando falham. E quando falham aumentam as nossas possibilidades.

5 comentários:

Miguel Serras Pereira disse...

Caro João Rodrigues,
tudo perfeito no teu comentário - menos a nota dissonante do "desenvolvimento soberano", que nem se sabe ao que vem. Porque não "desenvolvimento democrático", ou "socialmente responsável" ou "participativo", que sempre sugeririam um pouco melhor, sem ter necessidade de grandes explicações, aquilo que Lagarde e a oligarquia governante combatem, receiam, tentam, como bem dizes, dissuadir a todo o custo?
Que nos adiantaria a nós um "desenvolvimento soberano" governado pelo Pingo Doce (ainda que voltando a pagar impostos em Portugal, com a faca e o queijo fiscais na mão)? E não será evidente que a redução das tensões e reivindicações soberanistas facilitaria as condições de um "desenvolvimento mais equitativo", senão democraticamente planeado e instrumentado?
Quanto ao resto, assino por baixo.

Abraço

msp

D., H disse...

Afinal não é só a figura dela que é sinistra.
"Parents have to pay their tax". E com os juros que toda a gente conhece…
É sempre a mesma conversa: culpar a maioria do povo grego, condescender com os partidos amigos (e corrruptos) que governaram o país.

Anónimo disse...

A desgraça grega é aqui ao pé, desperdiçar dinheiro no Haiti ou no Afeganistão para quê?

Carlos Albuquerque disse...

Lagarde comporta-se como um chefe mafioso. Quase nada falta para exigir que os filhos dos gregos sejam vendidos como escravos. Deve ser afastada imediatamente.

O desprezo que mostra pelas crianças gregas pode vir a ser demonstrado pelas nossas crianças em breve. É urgente estarmos solidários com os gregos.

Unknown disse...

Mas ela quer lá saber das criancinhas do Niger…
Lembrou-se do Niger… O que é que o FMI está a fazer por esse país. Mais vale não fazer rigorosamente nada.
Bem… a mim parece-me daquelas tiradas à "Al Capone".