segunda-feira, 25 de abril de 2016

Bom dia

Informo V. Ex.ª que ontem, dia 25 de Abril de 1974, vários funcionários faltaram ao serviço, invocando ter ocorrido uma revolução no País.
Esclareço que esta revolução não foi autorizada superiormente, não se vendo qualquer justificação para as faltas, tanto mais que o serviço se atrasou consideravelmente.
Como na legislação vigente não estão previstas faltas pela ocorrência de revoluções, submeto o assunto ao alto critério de V. Ex.ª, na certeza de que o mesmo merecerá a atenção devida.

Lisboa, 26 de Abril de 1974
A Bem da Nação
O Chefe da 3.ª Secção
Ambrósio Silva

15 comentários:

Anónimo disse...

Ahahahah

Dedicado a todos os ambrósios desta e doutras terras

Viva o 25 de Abril.

Manuel Silva disse...

- Ambrósio, está a apetecer-me algo.
- Um Ferrero Rocher, senhora.
- Com certeza.
Ai Ambrósio, Ambrósio, chames-te tu o que te chamares, José, por exemplo. que é o Ambrósio mais conhecido aqui no LdB.

Anónimo disse...

Que Vivam o 25 de Abril!
Que vivam todos os dias!
Por que são também, dias
de
Revolução!
De Adelino Silva

Anónimo disse...

Entao o Zéquinha Ambrósio não anda por aqui.?
Está encontrada a maneira do fulaninho dar ás de vila diogo e ir infectar outros lugares.
É falar aqui todos os dias do 25 de Abril.
Assim, sempre se iria concluir que o 25 de Abril além de ter feito muito bem ao nosso país e ao seu povo, ainda hoje pode actuar como desinfectante.

Jose David Cunha disse...

Isto é mesmo verdade,caro amigo?

Jose disse...

Sempre a descoberta de uma alma gémea exalta quem tem por ideário salmodear o politicamente correcto!
Ambrósios, Uni-vos!
Assim mude o dono, assim muda o salmo.

Anónimo disse...

O Ambrósio chegou pelas 19 e 24, mas a assobiar para o lado e a fingir que não reconhece a cena.

Acontece. Como aconteceu a 25 de Abril de 74. E a mudança de salmo consoante o dono confirma-se porque de patrioteiro a salmodear o deus, pátria, autoridade adquiriu um tom com um forte sotaque alemão. Mantendo no entanto o apetite pelo dinheiro e os salmos pelos banqueiros

Viva o 25 de Abril. Foi bonita a festa pá.

Que prenda linda

Anónimo disse...

25abril para quê? para pagar a juízes através de OFFSHOREs, para condenar centenas de trabalhadores do CASINO ESTORIL, a máfia da china não chega a compra da EDP juntam o podre nacional o homem do cachimbo para ajudar a corrupção.

Anónimo disse...

Será impressão minha mas há um registo de admiração para com o Ambrósio por parte do acusador do "politicamente correcto"?
Sabe-se que o sonho de todos os promotores da lei e da ordem à sua maneira, saudosistas do tempo da porrada e da matraca, é ter muitos Ambrósios à sua disposição.

Como gritava de forma politicamente correcta mas ideologicamente afinada o "dono e o salmo" das 19 e 24:
"Mas a esquerda troca a ordem pela tolerância, a hierarquia pela igualdade, a disciplina pela impunidade"

Confere. A admiração pelos Ambrósios e pelo "trabalho" destes. E para além destes

Anónimo disse...

afinal o cagalhão zé é contra o políticamente correto
o cagalhão é subversivo, revolucionário
ou seja, ele só detesta o 25 de Abril porque não foi ele a faze-lo

ahhh...grande bosta zé
quase me comoveste agora

Anónimo disse...

Seria bom que deixassem de parodiar por um momento. E´ que o Carnaval já foi…
Há um prémio para quem meteu requerimento para nascer (…….) Não apareceu ninguém…e´ do povo o que tem de ser do povo! Assim seja para sempre…
Aqui nesta santa terrinha, grande eloquência, “Quem não pesca já pescou…Quem não cava já cavou”, tivemos a sorte de sermos identificados com o Trabalho produtivo. Somos todos filhos de trabalhadores que tem a honra de pertencer e ser queridos do proletariado em geral e da classe operária em especial.
Somos por definição político-social, livres-pensadores. Parece só estarmos bem onde não estamos… Direitos Humanos, Direitos do Homem …e a Cartilha de João de Deus… Com dúvidas aceitamos que Cristo existiu. Aceitamos Karl Marx e Engels com certeza, como a todos os grandes protagonistas nos avanços progressistas da humanidade, Maquiavel, ou Dante Alighieri. Aceitamos a Utopia… Somos da Moita “Bacia a Sul do Tejo”.
Desculpem qualquer coisinha… De Adelino Silva

Jose disse...

Coragem, Ambrósios!
O vosso amanhã sempre cantará banalidades!

Anónimo disse...

Confirma-se mesmo.

Atrás das banalidades e da invocação suspeita dos Ambrósios, há mesmo um registo de admiração para com o Ambrósio da parte do insistente das 21 e 21.
Sabe-se que o sonho de todos os promotores da lei e da ordem à sua maneira, saudosistas do tempo da porrada e da matraca, é ter muitos Ambrósios à sua disposição.
Como dizia o Ambrósio, enquanto era apanhado em pleno aniversário pelo 25 de Abril, "eles" nem pediram autorização para fazer a Revolução. Onde está a ordem ( do mais forte) ? Onde está a disciplina ( do dinheiro)? Onde está a hierarquia (fascista)?

Esta admiração piegas pelos Ambrósios , agora escondida atrás de canções de amanhãs e de banalidades para ver se desvia para canto.

A bem da nação, não é ó chefe da terceira secção das 21 e 21?


Anónimo disse...

cagalhão zé

Para que o nosso amanhã cante banalidades é preciso que te juntes a nós
Vem, camarada zé, contamos com a tua preciosa ajuda nesse grandioso objectivo

Força, força, cagalhão zé
do cano ao rio até perder o pé

Anónimo disse...

Olha, afinal o Zéquinha ainda cá está. O 25 de Abril afinal não está a cumprir com o seu papel de desinfectante. É pena.
Se calhar o Zéquinha só desinfecta com uma dose industrial de Sheltox.
É dar-lha pessoal.