sexta-feira, 22 de setembro de 2017

É isto



(Vídeo de Luís Vargas, no Geringonça)

«Há muito tempo que o PSD não tem discurso. O PSD perdeu o discurso desde o momento em que António Costa inventou esta história da geringonça. O PSD ficou sempre preso a esse passado, a essa "ilegitimidade" deste governo, a esse "direito próprio" de formar governo, embora não tivessem maioria na Assembleia da República. Depois apostou tudo num discurso económico catastrofista. Vinha aí o diabo, íamos parar a um segundo resgate, ia haver sanções, ia haver tudo e mais alguma coisa. Ora isto não resultou e o PSD agora diz: "não, resultou porque eles fizeram o mesmo que nós fizemos". Portanto o PSD tem um discurso perfeitamente contraditório: ora diz que este governo fez tudo mal, e portanto atrasou e com eles teria sido tudo; ora diz que este governo fez tudo bem porque fez tudo o que eles estavam a fazer e não mudou em nada. Os dois discursos não são compatíveis.
Tudo isto poderia passar por um desacordo legítimo de opiniões se não se juntasse aqui um caso, que eu acho que dá outra dimensão ao discurso de Passos Coelho. É o caso de Loures e do apoio do PSD a André Ventura. André Ventura era um candidato apoiado pelo PSD e pelo CDS, que fez declarações nitidamente xenófobas e racistas em relação aos ciganos, que defendeu posições inqualificáveis para quem é do PSD, como a pena de morte, a prisão perpétua, a castração química de pedófilos, tudo matérias que estão a milhas do que é o programa eleitoral do PSD. Assunção Cristas e o CDS decidiram tirar-lhe o apoio e o PSD manteve o apoio. E isto é muito significativo, porque mostra uma coisa: nós já tínhamos tido umas experiências, aqui e ali, deste tipo de discurso, mas eram experiências marginais. E isto é que é importante: é a primeira vez que um partido que é um dos pilares da democracia portuguesa, um dos partidos fundadores da democracia portuguesa, apoia um candidato com este tipo de discurso. Isto tem consequências».

Constança Cunha e Sá (21ª hora, TVI24)

30 comentários:

Jose disse...

Todo o idiota vendido à geringonça mantém o mantra do Diabo que não veio.
Não veio porque o mandaram embora com cativações e perdões fiscais.
O que nenhum desses cúmplices da trafulhice diz é que houve um orçamento que não foi cumprido, e pior, não foi rectificado por entre loas a que não o tivesse sido.

É esta cumplicidade com a chiquice-esperta, com a fábula política, que descredita os políticos e o comentário político, que leva os Ventura deste mundo a fazer o contraponto a tanta velhacaria e língua de pau.

Os ciganos, que começaram por ser chamados de boémios por de lá virem, são um caso de não integração voluntária, subordinada a objectivos bem concretos de vantagem na auto-exclusão.
Mas todo o cretino grita racismo e xenofobia quando lhe denunciam os vícios que para os próprios são as qualidades que prezam.

Num mesmo saco metem facilmente a pena de morte, a prisão perpétua e a castração química. São tabus que distanciam dos abortos sistemáticos e da avaliação selectiva de toda a crueldade que se vê pelo mundo.

A palhaçada que se diz progressista não tem nem pudor nem limite.

Anónimo disse...

Claro que os discursos do PSD não são compatíveis. O discurso mudou. E agora só faltava dizer que sim que este governo está a governar de forma radicalmente diferente em relação ao anterior. Portanto o PSD tem um pouco de razão quando diz que este governo está a fazer tudo o que o PSD iria fazer caso estivesse no governo, porque também não iria ser radicalmente diferente do que tem sido.
E só estou a defender o PSD, que é um partido no qual, muito provavelmente nunca irei votar, porque esta ocasional propaganda da geringonça é irritante quando vem parar a este blog que tem um outro nível, bastante superior. É uma questão de honestidade, portanto.

Anónimo disse...

"Todo o idiota vendido à geringonça"

Assim se inicia um "comentário" de alguém perturbado. Alguém tão perturbado que não se inibe em mostrar o verdadeiro lado insultuoso e canalha de coisas assim

Um idiota (o termo é dele) a mostrar que o é. Do filho-família a inquieto e insultuoso lambe-botas desculpabilizador de Venturas e doutros canalhas.

Passos apoia Ventura. Este gajo apoia Passos, Segundo diz, pela primeira vez.

Velhaco a cair da pileca, chico-esperto a fazer jus à sua tradição ideológica,cretino vicioso marialva mergulhado em obscenidades racistas.

Um outro André Ventura.

Anónimo disse...

Ouvi, em direto, o comentário de Constança Cunha e Sá e devo dizer que o apreciei muitíssimo: preciso e tão profundo quanto o permitiu o escasso tempo televisivo, não se rendeu a sua análise à demagogia que campeia sem freio em tempos eleitorais, nem claudicou ela perante as modas e anquilosados preconceitos que envenenam, sem remédio possível, um debate que se quer honesto e consequente.
Quanto às piruetas desesperadas do Sr. Passos Coelho, eu só me espanta as pessoas espantarem-se com tal espetáculo: que esperavam elas de um inculto que passou os seus tempos formativos mergulhado nas trafulhices e nos golpes de asa da política dos pequenitos da laranja jotinha?
Também não deixa de ser caricata a perplexidade de alguns face à novel (?) deriva dita "populista" do PSD, pois, bem vistas as coisas, que chamaremos nós a um partido que nunca teve uma ideologia definida, se autodenomina de "social democrata" sendo atavicamente conservador, e sempre albergou no seu seio os saudosos sobreviventes do vastíssimo grupo de portugueses para quem a política era, nos tempos da outra senhora, o trabalho? Ou, trocando a coisa por outras palavras, aqueles mesmos que se estavam lixando para a desgraça do próximo - fosse esse próximo parar com os ossos ao Aljube ou aparar com o coiro a metralha das guerrilhas africanas - e faziam pela triste vidinha amealhando o tostão que lhes permitisse olharem do alto da burra aqueles que nem pão, nem escola, nem teto tinham?

Anónimo disse...

Herr José aproxima-se, inexoravelmente e a passos cada vez mais largos, daquele ponto sem retorno em que a sandice o levará ao asilo psiquiátrico...

Dias disse...

“…ora diz que este governo fez tudo mal, e portanto atrasou e com eles teria sido tudo do melhor; ora diz que este governo fez tudo bem porque fez tudo o que eles estavam a fazer e não mudou em nada”.

Na mouche! (Esquizo… quê?)
Passos Coelho continua amargurado (ai, que eu ganhei as eleições!), sem qualquer fio condutor no seu discurso, que vê nos Venturas a bóía de salvação.

A.R.A revolução disse...

Jose
Como eu o entendo! Então se existe uma Zita que deu um forte sentido ao significado de reviralho porque não chamar de progressista à "insuspeita" Constança Cunha e Sá?

Jose, como eu o entendo! Um governo de esquerda unida a governar o "seu" país orgulhosamente só e temente, como é óbvio, as boas noticias para generalidade são catastróficas para os da sua espécie mui sui generis a tal que não concebe que haja Portugueses de etnia cigana ... olhe, siga o exemplo do seu querido líder que entre a vinda do diabo e um novo resgate, afirmou que caso a estratégia do governo resultasse apelaria o voto à esquerda, eheheheh!

(ainda o hei-de apelidar de Jose .... Guevara ;=)

Quanto ao Anonimo Dextro ... pois ... sabe que a humildade não é aquela coisa que cresce nas paredes ... já aqui tive a oportunidade de aflorar o tema dos ressabiados "xuxalistas" que de tão violenta abstenção conivente com o passado se mostraram tão atarefados em boicotar a campanha de Antonio Costa!?

Haja decoro pois nem todos são desprovidos de memoria e, eu sim, nem sou do partido socialista!

A.R.A

Anónimo disse...

Parece que o diabo não veio porque e cita-se "o mandaram embora com cativações e perdões fiscais"

Uma boa piada e uma caridade. Piada porque o é. Caridade para com Passos, porque faz seu o discurso deste

Herr jose quererá que se apresente os esgares de ódio, de ameaça do diabo e da sua vinda, da previsão da furia de deus e da Alemanha, que acompanhou a subida do SMN?

E quem debitava em voz enrouquecida de raiva contra o SMN e a pregar pela vinda do diabo?

Herr jose,pois então

Anónimo disse...

Herr jose a 16 de Abril de 2016, aquando dum convite público para festejar Abril

Dizia assim o sujeito:
"Façam a festa!
Por mim vou esperar pelo 25A de 2017.
Não festejo a cretinice em curso."

Passou-se Abril de 2017 e não chegou o diabo .

Ainda hoje não se sabe o que herr festejou mais a cretinice que o persegue desta forma tão espectacular.

Mas ficámos agora a saber o motivo pelo qual Jose não pode festejar a vinda do diabo: foi o diabo das "cativações e perdões fiscais".

Anónimo disse...

"É esta cumplicidade com a chiquice-esperta, com a fábula política, que descredita os políticos e o comentário político, que leva os Ventura deste mundo a fazer o contraponto a tanta velhacaria e língua de pau"

Não são dignos de comiseração os ventura deste mundo fora por terem que fazer o contraponto a tanta velhacaria e língua de pau?

Mas isto é uma declaração de amor do jose. Uma declaração de amor e uma ordem de serviço, a Bem da Nação, pelos serviços prestados de contraponto dos venturas deste país

Anónimo disse...

"Os ciganos, que começaram por ser chamados de boémios por de lá virem...Mas todo o cretino grita racismo e xenofobia quando lhe denunciam os vícios que para os próprios são as qualidades que prezam".

Todo o cretino chama aos demais de cretinos por não lhe seguirem a sua manha racista. De forma viciada e viciosa Jose aldraba do princípio ao fim.

Não, os ciganos não começaram a chamar-se de boémios por de lá virem.
Cigano designa um conjunto de populações nómadas que têm, em comum, a origem indiana e uma língua (o romani) originária do noroeste do subcontinente indiano.

No século XV, bohème tornou-se um termo comum para os ciganos da França, que, erroneamente, pensava-se terem chegado à França no século XV a partir da Boêmia, naquele tempo uma região protoprotestante e considerada herética por muitos católicos romanos.

Jose segue a cartilha ( falsa) dos fundamentalistas religiosos franceses do século XV. Errada como hoje se sabe. Mas com a marca indelével do extremismo racista e da ignorância pacóvia

Anónimo disse...

"todo o cretino grita racismo e xenofobia quando lhe denunciam os vícios (dos ciganos) que para os próprios são as qualidades que prezam.

Dizia há um par de dias o mesmo tipo sobre os ciganos:

"clãs organizados e solidários em mil e um esquemas de se assegurarem uma renda sem os horrores de ‘emprego a horas certas’ e contas com o fisco".

O racismo não já larvar mas exposto aqui com toda a clareza. A extrema-direita xenófoba a mostrar que o é e a apelar ao voto em Passos. Estão bem uns para os outros. Ventura é apenas a cereja acanalhada a cumprir a sua função

No seu fedorento debitar racista, fala jose nas "contas com o fisco" a propósito dos ciganos.
Curiosamente não o vimos com tais preocupações quando defendeu a fuga ao fisco de grandes empresários. Ou quando defendeu a fuga para paraísos fiscais ( ditos bordéis tributários) das rendas, dos proventos, dos produtos de saque dos mesmos. Milhares de milhões em esquemas abençoados pelo jose e pelo advogado perito em criatividade fiscal,secretario de estado da ex-ministra Cristas

Anónimo disse...

"a pena de morte, a prisão perpétua e a castração química" como tabus que distanciam dos abortos sistemáticos e da avaliação selectiva de toda a crueldade que se vê pelo mundo".

A palhaçada de alguém que sem pudor ou limite tenta impingir a pena de morte ou a prisão perpétua ou a castração química como processo de erradicar a crueldade que se vê pelo mundo. E, repare-se até para os "abortos sistemáticos".

Quem assim fala não é Zaratustra. É apenas jose ou um outro qualquer fundamentalista religioso do Estado islâmico incubado na Arábia Saudita

Anónimo disse...

O afastamento da direita do poder no seguimento das eleições de 4 de Outubro e a construção de uma solução governativa em que o PS em minoria, tem governado de forma estável ao longo dos últimos 20 meses, com base numa posição política conjunta com os partidos à sua esquerda, permitiu que a nossa economia, após um primeiro ano de 2016 em que foram já visíveis no 2º semestre do ano nítidas melhorias resultantes do início da reposição de direitos e rendimentos para muitos trabalhadores, registasse finalmente nos dois primeiros trimestres de 2017, um ritmo muito aceitável de crescimento de 2,8%, como não se verificava desde o início deste século.
Provou-se ao longo deste período que ao contrário do que a direita e os seus ideólogos defendiam e defendem, era possível pôr a economia a crescer a um ritmo muito aceitável com a reposição direitos e rendimentos, incentivando a procura interna, sem por isso pôr em causa a aposta nas exportações e não agravando os nossos défices estruturais.
Provou-se finalmente que era possível fazer-se tudo isto reduzindo o desemprego (menos 145 400 desempregados entre o 1º semestre de 2016 e o 1º semestre de 2017) não através do recurso à emigração mas através da criação de novos empregos (mais 151 mil empregos neste período).
Foi possível ao longo destes últimos 20 meses travar um longo período de ataques a direitos e conquistas dos trabalhadores, ataques este que atingiram com o último governo PSD/CDS e com a intervenção da troika níveis nunca antes vistos.
Valorizando muito positivamente a evolução económica e social verificada com o afastamento da direita do poder é importante não esquecer as muitas limitações que o crescimento económico recente não esconde.

Sim,este governo tem muitas limitações.
Mas se o PSD estivesse no governo faria de facto algo radicalmente diferente do que tem sido. Para bem pior. Lembram-se dos 600 milhões para a segurança social a sacar pelos pafistas se ganhassem as eleições?

A memória é uma coisa lixada

Jose disse...

Todo o idiota vendido à geringonça mantém o mantra do Diabo que não veio.
Não veio porque o mandaram embora com cativações e perdões fiscais.
O que nenhum desses cúmplices da trafulhice diz é que houve um orçamento que não foi cumprido, e pior, não foi rectificado por entre loas a que não o tivesse sido.

Para que os geringonços saibam que a repetição não é vosso exclusivo.

Anónimo disse...

E nisto de redundâncias sabe o senhor, por uma vez que seja, muitíssimo sobre do que se fala, não é, pleonástico Herr José?

Anónimo disse...

A pena de morte, a prisão perpétua e a castração química ou a santíssima trindade que se constitui nos sólidos alicerces de uma sociedade verdadeiramente civilizada. Compreende-se assim o amor assolapado de Herr José por esse farol do avanço civilizacional que são os EUA. Tudo isso lá existe e mais lá existe: os "compagnons de route" ianques do humaníssimo Herr José - os tais que vão buscar à Bíblia os fundamentos "jurídicos" para defenderem a sua avançadíssima trilogia civilizacional - são os mesmíssimos que assassinam, a tiro e à bomba, os profissionais clínicos que trabalham em clínicas que praticam o aborto.
Sugestão pragmática: meus queridos companheiros e companheiras aqui do LdB, por que não organizamos nós uma subscrição pública e amealhamos um pequeno pecúlio que nos permita mandar o filantrópico Herr José estagiar para o Texas ou, melhor ainda, ir viver para a Arábia Saudita?

A.R.A revolução disse...

Jose

Realmente consigo é só rir ... mas apenas se fosse único e indivisível o que, infelizmente, não o é pois ao Lê-lo (atenção que escrevi Lê-lo e não Lélo) parece que estou no "facebuque" do PPCoelho a vislumbrar os seus desabafos pessoais sobre ... coisas

A.R.A

Jose disse...

Todo o idiota vendido à geringonça mantém o mantra do Diabo que não veio.
Não veio porque o mandaram embora com cativações e perdões fiscais.
O que nenhum desses cúmplices da trafulhice diz é que houve um orçamento que não foi cumprido, e pior, não foi rectificado por entre loas a que não o tivesse sido.

Anónimo disse...

Parece que herr jose está para além de inquieto, desaustinado.

Esqueceu-se de falar nos ciganos da Boémia. E da pena de morte e da castração química e da prisão perpétua para os "abortos sistemáticos"

E faltam os mimos com que se aflauta tipo chico-esperto cretino velhaco com língua-de pau

Anónimo disse...

"(O diabo) Não veio porque o mandaram embora com cativações e perdões fiscais"
Jose em Setembro de 2017
(podia ter sido Passos Coelho, mas foi mesmo Jose. Depois do mote dado pelo primeiro, claro)


"Os geringonços o que fizeram nos últimos anos? Que tudo era errado, que a austeridade não se justificava, que havia alternativa revertendo tudo e um par de botas.
O PAF seguiu a sua política e perdeu a maioria.
Veio a geringonça e reverte e acaba (!?!) com a austeridade, rompe contratos e proclama-se estatizante.
Agora amanhem-se com as consequências"
Jose em Setembro de 2016
(podia ter sido Passos Coelho, mas foi mesmo Jose. Depois do mote dado pelo primeiro,
claro)

A repetição é mesmo um privilégio de Jose. Po-lo a dialogar consigo próprio, sendo por ele mesmo apanhado, é um indicador seguro de gargalhada. E de como a propaganda neoliberal/caceteira não tem nem escrúpulos, nem vergonha

Anónimo disse...

Confesse lá herr jose.

Para além da inquietação e da perturbação essa é para ver se cumpre com eficácia um dos mandamentos de Goebbels:
"Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade"

Alice disse...

Quando li "clãs organizados e solidários em mil e um esquemas de se assegurarem uma renda sem os horrores de ‘emprego a horas certas’ e contas com o fisco"", a última coisa de que me lembrei foi de ciganos, pensei que o José estava a falar dos tipos que ele tanto admira.

Anónimo disse...

Na mouche, cara Alice

Jose disse...

Alice, não se coíba, fale-me de quem refere como 'os tipos que ele tanto admira'.

Anónimo disse...

E Herr José sai em triunfo pela porta grande, depois de, mais uma vez, ter mostrado a sua mestria nessa tão admirável quanto em si natural arte de fazer-se de parvo quando lhe falta o argumento. E sabe Deus - e nós com ele - quão amiúde lhe seca a veia argumentativa. Herr José é, nesse vasto particular, um símile de certas minas nacionais: por mais que se escave, já nada se acha.

Anónimo disse...

Tipos que Jose admira, pergunta o mesmo Jose?

Por exemplo Salazar:
"bem fez Salazar, enquanto a História esteve do lado dele, de aplicar o princípio à comunada!"

Por exemplo a Pide:
"A PIDE era a polícia de defesa do Estado Português; era polícia de fronteiras, agência de informações e de contenção ou ataque a quem o poder político definia como inimigos do Estado."
"Não duvido que trinchassem um treteiro badalhoco de vez em quando, que a higiene pública também é defesa do Estado".

Por exemplo: Banqueiros em geral ( terratenentes, cantava ele numa das suas odes); António Borges; Cavaco Silva; Durão Barroso; Passos Coelho; Paulo Núncio; Soares dos Santos; Champalimaud;

Por exemplo: os que depositam dinheiro nos offshores , vulgo bordeís tributários

Por exemplo: rentistas, agiotas e credores

Por exemplo: os mais iguais do que os outros, admiradas élites e outras tretas do género

Por exemplo: Grandes patrões em geral e tipos que detenham metade da riqueza mundial

Jose disse...

Cuco, treteiro em serviço permanente.

Anónimo disse...

Herr jose coibiu-se por não se terem coibido.

Mas a questão não são os sonhos ou pesadelos de herr jose mas sim o que se debate.

No alvo não foi mesmo?

Anónimo disse...

Herr José, o papagaio dementemente reacionário de eterno plantão. Quando se lhe dá um amendoim em forma de comentário, ele - tão querido! - levanta automaticamente a asinha direita e diz, com germânica convicção e fuzilando com os olhinhos a pestífera comunagem , "Heil, Mein Furher!"