terça-feira, 18 de setembro de 2018

U2?


Os U2 andam armados em propagandistas da União Europeia, o que até se compreende se tivermos, por exemplo, em conta a lógica de classe. Afinal de contas, se não fossem a liberalização financeira e a correspondente corrida fiscal para o fundo, promovidas pela UE, como poderia Bono, o milionário vocalista da banda irlandesa, usar uma empresa de Malta para investir num centro comercial na Lituânia, pagando uma taxa de imposto de 5%?

8 comentários:

Anónimo disse...

Curto e grosso.

E como sempre muito bom

Anónimo disse...

Damn.

Jose disse...

Curto e grosso diz o Amen uber alles.

Pergunto, não será a soberana e patriótica autonomia de Malta e Lituânia que permite essas operações?

Jaime Santos disse...

Diga lá se não fica cheio de inveja pela quantidade de gente jovem e menos jovem que a campanha deles consegue atingir :-) ... Gente jovem e menos jovem que gosta do capitalismo, nota-se. Aonde é que num sistema ao estilo soviético seria possível produzir música com a qualidade da dos U2 (menos nos tempos que correm)? Teriam provavelmente que ficar limitados ao realismo socialista :-) ...

Zeca Gancia disse...

Este são os tais senhores que andam nos "Live Aids" para ajudar habitantes dos PVD (Paises em vias de desenvolvimento) como se não soubéssemos do porquê das desigualdades gritantes no mundo. Valorizem os recursos de cada país em cada geografia e não provoquem necessidades de consumos de que não necessitam.

Anónimo disse...

Jaime Santos de cócoras, perante a poeira dos dias. Sem desgrudar dos soviéticos e a mostrar a falta de nível de quem tenta lavar mais branco

Mete dó. Mas esta é a imagem de marca das elites rendidas a estas palhaçadas a ver se piscam o olho aos votinhos acéfalos

A.R.A revolução disse...

Anónimo

Não se amofine com o Jaime Santos pois a conversa dos soviéticos é um cliché que entra sempre bem para dar ênfase às loas que o Jaime Santos tanto gosta de aclamar e declarar ao capitalismo.

O Jaime e quejandos representam as varias camadas de sucessivas politicas "Big Stick" e de Roosevelt até aos dias de hoje o "stick" foi ficando cada vez mais "big" e de longo alcance.

Assim sendo peço ao Anónimo que seja mais compreensivo com o Jaime Santos pois ele é a verve de mais de 1 sec. de pancada económica-propagandista, ou seja, uma vitima com síndrome de Estocolmo que dá sentidas alvissaras ao seu agressor.

Mete dó, sem duvida!

A.R.A

Anónimo disse...

Jose não gosta da limpidez das coisas.

E não gosta do "curto e grosso" em referência a este pequeno post de João Rodrigues

Deixemos para lá a sua religião e os seus amen em alemão. Estes não fazem mais do que , para além da representação idiota de papa-hóstias, esconder a pérola da aldrabice:

"Pergunto, não será a soberana e patriótica autonomia de Malta e Lituânia que permite essas operações?"

Pergunta mal jose. Malta e Lituânia fazem parte deste Euro, posto ao serviço do centro europeu e do grande Capital.

Um euro desenhado para permitir estas fraudes fiscais só mesmo com o aplauso grotesco de um tipo com os amen na boca e no discurso

Curiosamente o discurso deste tipo foi radicalmente diferente quando se tratou de defender a pulhice do Soares dos Santos na Holanda

Pulhices que o império tece, mais a desculpabilização de Bono em jeito de pro-bono patronal, lolol